Literatura o Mundo do Perigo

Todo canto tem pessoas que agem de má fé, e no “mundo da literatura” é pior ainda, todo cuidado é pouco, principalmente quando se trata de site, de contrato, onde tem de fazer uso de CPF, RG, etc. Ultimamente venho recebendo muito convites, somente não recebo convite para ganhar uma boa grana, mas para na verdade gastar dinheiro, “literatura” é gasto, e “investimento”, para ser bem sucedido, tem de “investir”, e este também é um dos grandes problemas, pois tem quem invista e também fique endividado, e tem quem meta as mãos pelas pernas.


carlos-drummond-de-andrade-thumb-800x456-110918
   Além de gastar muito dinheiro, como forma de investimento, tem de também puxar o saco, e correr o risco de ser enganado, tem gente na literatura que faz jogo baixo, assim como tem gente que é amigo somente quando tem algo de bom para si mesmo, quem sabe para poder entrar num site, numa academia de letras, ser reconhecido pelo que tem escrito, ou pelo o que ainda vai escrever.
    Enganado esta aquele que acha que o “mundo da literatura”, é um mundo das maravilhas, que o escritor ganha uma boa grana, pelo o que publicou, muitas das vezes o gasto é maior do que se imagina, principalmente, quando se entra numa antologia que tem de pagar 600 reais, sem que receba nem um tipo de retorno, onde quem ganha toda a fama é o organizador da antologia. Quem sabe uma oficina, que custa 500 reais (ou mais) para cada pessoa que queira participar.
   Na literatura também tem raposa, mas aceita cada proposta quem quer, e investe quem tem dinheiro, e os que não tem, tem a ousadia de tentar, e ai esta o perigo para quem tem dinheiro e para quem não tem dinheiro. Mas também existe o perigo de entrar em algo gratuito e enfiar as mãos pelas pernas, recebo muitos e-mails, de que ganhei isso e aquilo, e quando vejo e apuro na verdade eu tenho de pagar, uma coisa eu sei não se paga o que se ganha, e assim é o mundo da literatura, onde fazemos parte de muita coisa gratuita, e também divulgamos, divulgamos até quem não divulga o nosso trabalho, para mostrar o nosso próprio trabalho através da escrita.
   O que muitos amigos das redes sociais tem de entender, é que nem sempre que uma pessoa que me marca são pessoas que tem de confiar, tem pessoas que marcam o meu nome nas redes sociais coo uma forma de divulgação de seu trabalho, e eu por minha vez deixo, porque eu sei que não é nada fácil divulgar a escrita, e se nesse trabalho divulgado, onde meu nome está marcado, principalmente quando se trata de Facebook, tem alguma proposta, algum contrato, quero que saiba se não foi eu que publiquei, confie se quiser, mas uma coisa sempre é bom é apurar ver se é algo que de fato venha valer a pena fazer parte, se é algo verídico, e que não vai prejudicar.
   O meu amigo tem razão, “o mundo nem sempre é justo para todos”. E tem muita razão, e essas palavras encontram-se sempre comigo, e não se apaga. Também é necessário perder o ego que carrega-se dentro de se mesmo.

Autor: Valter Bitencourt Júnior

Valter Bitencourt Júnior, nasceu em Salvador, Bahia, Brasil, em 25 de junho de 1994, é anarquista, blogueiro, streamer/influencer, poeta e escritor brasileiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: