Milhares de Pessoas Foram Assassinadas – Colecionador de Lágrimas Holocausto Nunca Mais


Imaginar uma destruição em massa, milhares de pessoas morrendo em um campo de concentração numa forma cruel, a mandato de Adolf Hitler, e pensar a brutalidade daqueles que obedeciam a ordem, daqueles que foram treinados para matar judeus, mulheres, crianças, adolescentes, uma guerra que deixou milhares de mortos.
    O livro Colecionador de Lágrimas Holocausto Nunca Mais, nos trás uma grande analise, através da realidade e a ficção, sobre um homem doentio narcisista, paranoico, psicopata chamado Adolf Hitler, um manipulador das palavras, soube fazer uso das palavras como ninguém, um fascista.
   Na ficção  um professor de história judeu, que sonha com acontecimentos do holocausto, da Segunda Guerra Mundial, apelidado Júlio Verne, ele tem como esposa Katherine. o sonho de Júlio Verne é como se ele estivesse no local em que aconteceu o fuzilamento dos Judeus…
   Na sala de aula ele discorre sobre o Holocausto da Segunda Guerra Mundial, e fala sobre algumas estatísticas de pessoas que foram assassinadas, de Judeus, mulheres crianças…
8.861.800 (Oito milhões e oitocentos e sessenta e um mil e oitocentos) Judeus sob o controle dos nazistas nos países Europeus 2/3 (dois terço) foram exterminados mais ou menos 5.933.900 (cinco milhões e novecentos e trinta e três mil e novecentos), os Judeus foram assassinados por minutos, numa máquina de destruição humana montada pelos nazistas  que demoraria 10 anos de trabalhos 24h por dia. 
 
A primeiro campo de concentração foi Construída na África do Sul pela Inglaterra, ma Guerra dos Bôeres, entre 1899-1902. Fim da Guerra 26 mil mulheres e crianças goram assassinadas, muitas de infecção.
 
O centro de Concentração se espalhou por todo o mundo.
 
Nos estados Unidos depois do ataque a Pearl Habor, foram confinados 120 mil pessoas em maioria japoneses com cidadania americana.
 
12 campo de concentração foi criada no Brasil, para confinar alemães, italianos e japoneses..
 
Em 17 de março de 1942 o campo Belzec desenvolveu uma capacidade de assassinar 15 mil pessoas por dia, em abril foi  a vez de Sabibor, próximo da fronteira da Ucrânia, 20 mil pessoas por dia, em Treblinka 25 mil por dia. 700 mil pessoas assassinadas em Belzec. 600 mil pessoas assassinadas em Sobibor. 250 mil em Majdanek. 200 mil em Kunhof.
 
O Gás usado em Auschwits, não foi dos motores, o gás carbônico, mas um pesticida poderoso, o Ziklom B, a base de cineto, que desprendia um gá altamente tóxico que asfixiava os pulmões e produzia vômito, diarréia…
 
Alguns fragmentos tirado do livro.
 
  Com esses dados ele tira a conclusão de que tudo virou uma estatística, alguns dos alunos atrapalhavam a aula mexendo em celular pouco se importavam com o assunto, o professor foi ganhando o interesse de alguns pelo assunto, e de outros ele teve de pedir para que se retirem da sala de aula.
   Ao mesmo tempo que entra na ficção, o livro trás dados reais, nomes de agentes da SS (Tropa de proteção, Schutztaffel, criada inicialmente como guarda pessoal de Hitler, tornou-se com o tempo uma enorme organização paramilitar do Partido Nazista, que se encarregava entre outras funções, do projeto de extermínio em massa nos campos de concentração), o comandante da tropa se chamava Rudolf Höss. Cartas da época da Segunda Guerra, muitas das vezes assinada com o nome de Júlio Verne, para sair também da realidade e da continuidade a ficção.
  Adolf Hitler ouvia musica clássica, era um artista frustrado, amava os animais e matava os Judeus, matava os doentes mentais para não dá  ao despesas estado. Em suas cartas trazia a egolatria, o “Eu”, queria ser por sua vez um Deus, soberano venerado, sabia fazer uso das palavras, dizia-se fiel  Alemanha, um patriota. Em cartas, faz ironia ao presidente dos Estados Unidos Rosevelt numa forma minuciosa, se coloca a cima de tudo, sendo ao mesmo tempo pragmático, e faz tudo contrário ao que escreveu na carta, cumprindo com a defesa alemã e matando os judeus.
   A leitura do livro Colecionador de Lágrimas Holocausto Nunca Mais, nos transporta também à Segunda Guerra Mundial, nos leva à história, faz com que tenhamos consciência e lutemos para que essa história não se repita. ter cuidado também com as propagandas, o fascismo encontra-se em muitos políticos em nossa atualidade, em propostas que não vai ser concretizada, em projetos que não são realizados, mas é dado como aprovado.
  Nos dias atuais numa forma diferente ainda continua o holocausto na Síria, na palestina, na França como por exemplo o ataque ao jornal Charlie Hebdo, muitos buscam calar a voz do povo, muitos buscam calar também os intelectuais, tenho de lembrar também que a mídia tem o seu ponto positivo e negativo.
949f3cf9-9fa3-9e55-68b8-c5119e88a9f6

Publicado por Valter Bitencourt Júnior

Valter Bitencourt Júnior, nasceu em Salvador, Bahia, Brasil, em 25 de junho de 1994, é anarquista, poeta e escritor brasileiro.

Um comentário em “Milhares de Pessoas Foram Assassinadas – Colecionador de Lágrimas Holocausto Nunca Mais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: