Uma Pequena Crônica: Em Maracujá/BA

   Pensei, será que público algo sobre a viajem? Quando acordei super cedo, mais ou menos duas horas da madrugada, para viajar pra Serrolândia/BA, foi algo super diferente, no sentido de que estava muito querendo fazer essa viajem.

   Nada pior do que você fazer algo que não tem vontade alguma, principalmente quando se trata de uma viajem, que vai levar mais ou menos 5 à 6 horas, pra chegar. E quarta-feira passada, estava disposto a fazer essa viajem, junto com meus pais, irmã, padrinhos e uma das minhas tias, passamos pelos pedágios, Amélia Rodrigues, mais adiante Riachão, Gavião, Capim Grosso, Cova do Anjo, Alto do Capim, Maracujá.

Saindo da Valéria/BA para Maracujá/BA

Saindo da Valéria/BA para Maracujá/BA.

   Uma das coisas que eu gosto e muito é da feira, pelo fato de que, na feira eu vejo uma interação muito legal, quando uma pessoa compra algo, e muitas das vezes pede que abaixe o preço, e também quanto a passagem do troco, onde todos os vendedores colaboram um com o outro, assim fazendo a troca de capital. Isso já na quinta-feira, o pessoal resolveu fazer uma fogueira, e assim se reunir, o que também é bom, para até mesmo nos sentir em um ambiente agradável, onde sabemos que o clima aqui em junho é um pouco frio.

Feira de Quixabeira/BA

Feira de Quixabeira/BA.

   E também uma curiosidade, ficamos num povoado chamado Maracujá/BA, onde a sua cidade principal é Serrolândia, um povoado pequeno, que se torna grande pela humildade do seu povo, sempre sorridente, e que não fecham os braços para quem chega, os braços sempre estão abertos para às visitas.

 

Valter Bitencourt Júnior

Valter Bitencourt Júnior, Maracujá/BA.

    Muitas das vezes quando vinha pra cá (Maracujá/BA), meus amigos e amigas perguntavam, vai pra onde no São João? Ou até mesmo quando era o fim de ano, vai pra onde no ano novo? Respondia vou para o Maracujá/BA, onde fica, próximo a Serrolândia, Gavião, Alto do Capim, Várzea do Poço…

   Na sexta-feira, fomos catar andú, na roça de uma das minhas tias (Júlia), acredito que é uma boa distração, e nada melhor do que a roça, quando de fato estamos afim de ir pra um lugar calmo.

Anúncios

A mulher é tão foda quanto o homem

Nada pior do que a limitação daquilo que deveria ser do direito de todos, e é o que muitos tentam fazer, muitas das vezes para se mostrar superior a outro.

Quando se trata de homem e mulher, muitas das vezes o homem busca mostrar ser mais superior que ela, não pelo fato de que ele queira, e sim pela sua forma de criação, e até mesmo pelo o que mostra ser lei, a lei criada pelos homens. Somente agora, a mulher pode dirigir carro na Arábia Saudita, para a gente vê como são as coisas. Ainda existe países que carregam ainda o que hoje chamamos de machismo ou a falta de respeito e consideração para com o ser humano? Descartar um para exaltar o outro, equivale a um verdadeiro assassinato.

Já vivemos em um país onde as mulheres não tinham o direito de lerem sequer um livro, pois elas tinham que fazerem apenas os seus trabalhos domésticos, elas não tinham o direito de ir trabalhar, de vestir uma roupa curta, de ir à festa. Para o marido, a sua esposa tinha apenas de fazer os afazeres domésticos, e se arrumar apenas para ele, assim satisfazendo as vontades dele.

Logo quando vemos um país onde ainda não permite que a mulher venha a dirigir um carro, achamos completamente estranho, até porque muito de nós desconhecemos o nosso passado (tanto o homem quanto a mulher), quando vemos um país onde a mulher faz uso da burca, ainda achamos estranhos, e em nossa atualidade ainda encontramos homens, que queiram obrigar as suas esposas a usarem roupas abaixo do joelho, não apenas a usarem roupas abaixo do joelho, como também muitos querem que a mulher se arrume da forma que “ele” quer, e não da forma que “ela” quer.

A mulher hoje em dia ganhou espaço no mercado de trabalho em diversas áreas, muitas fazem a mesma função que o homem, e não são pagas da mesma forma que pagam o homem, a diferença muitas das vezes se encontra no valor que paga um e o outro, logo uma forma de tornar a mulher inferior ao homem. Se a questão é de quem pega mais peso, então o pedreiro deveria ganhar mais do que o engenheiro.

E o bom mesmo é que muito se foi mudado, e a mulher por vez dela vem lutando e muito, pelos seus direitos, e é mais que justo, nada pior do que ser oprimido, muitos oprimem e sequer sabe o que venha a ser uma pessoa oprimida, uma pessoa limitada de fazer o quer o que também é de direito dela. Ambos tem de ter os seus direitos juntos, tanto o homem quanto a mulher, ambos tem de terem a liberdade.

images

Não é impossível

Agradecer a Deus
A todos os deuses,
A todos os seres,
Aos pais,
E a vida, por cada
Dia, momentos de tristezas
E também de alegria.
E a poesia fala,
Circula no coração,
Encanta os seres,
Brinca com as palavras
Por entre o imaginar.
E tudo vale a pena,
Depende do olho de quem ver,
Hoje é um dia especial,
Amanhã é outro dia,
Não seria especial?
Fazer de todos
Os dias um dia único,
Não é para todos,
Por que não ser?
– Não é impossível!

unnamed

 

 

Uma nova aurora

   Nada melhor do que quando nasce novamente a esperança, e hoje a maioria do povo brasileiro renasceu novamente, e estão com a esperança de que a seleção brasileira vai conseguir o tão esperado Hexa dessa vez.

E claro, que os jogadores tem de darem o sangue, jogarem com raça e vontade, foi o que fizeram jogando contra a Suiça, domingo passado, e hoje, 22, jogando contra a Costa Rica.

O Brasil ganhou da Costa Rica fazendo 2 Gols, e de fato foi bem merecido, e isso é bom, que joguem nos próximos jogos, com mais garra e determinação ainda, para que a sociedade brasileira por vez dela possa se orgulhar da seleção brasileira, ganhando ou perdendo a Copa.

Mostraram que de fato estão lá pra ganhar, e dentro de todas os gols que quase iam serem feitos, nós torcedores ficamos com o coração palpitando, e até mesmo louco, para que consegam fazer o gol, e foi o que aconteceu nos 6 minutos de acréscimo, um gol do Coutinho e outro gol do Neymar.

Eles jogaram bem não por causa do gol que fizeram e sim, pela luta, pela raça, pela sede de ganhar, de mostrar que estão ali pra vencer, assim nos orgulhando.

download

Sem tesão a vida fica sem graça

Energia negativa faz com que o ser perca o tesão pelas coisas do dia-a-dia, e quando o ser é pessimista ela é capaz de acabar com o ânimo de qualquer um, muitas das vezes em uma atitude, ou até mesmo em palavras.

Quando o ser deseja o ruim para alguém, tudo àquilo de ruim que se foi desejado volta para ela. E quando ela deseja o ruim para ela mesma, tudo o que há de ruim volta para ela duas vezes mais, logo nasce a negatividade, e todos os pensamentos muitas das vezes cheios de paranois de que tudo vai dá errado.

E o Brasil se encontra com um sintoma de pessimismo, infelizmente, devido a corrupção na política brasileira, o desemprego de milhares de brasileiros, aumento de imposto, falta de investimento na instrução pública, posto médico… Muitos estão brigando um com o outro, muitas das vezes desejando o ruim, fazendo discurso de ódio, tirando o tesão do outro e também perdendo o próprio tesão.

É necessário se organizar e não perder a esperança, acreditar que tudo vai melhorar, pois essa luta não vem de agora, vem de muitos e muitos anos, e por nossa vez temos de acreditar que o jogo vai virar, ganharemos esse jogo, muito se foi melhorado, diante ao que se encontrava no passado, o que não podemos deixar acontecer é que piorem o que se foi melhorado, lutar pelos direitos trabalhistas, por uma instrução pública melhor, por uma saúde publica melhor, debater, e discutir assuntos pertinente ao nosso país, oferecer boas ideias para que seja feita as devidas melhorias.

É necessario a motivação, um motivar o outro, um estender as mãos para o outro, deixar de se opor, muitas das vezes criando intrigas.

unnamed

 

Poéticas do Poeta Jorge de Lima

Poemas da infância

Eu queria saber versos
como o meu amigo Lau.
Nunca vi versoos mais belos
como ele sabe lá.

Trocava até meu carneiro
meu velocípede sim
sem saber os seus versos
meu pai que será de mim?

Meu pai me bote na escola
de meu amigo Lau
quero aprender com ele
versos e não, b, a, bá!!!

Jorge de Lima, aos seus 7 anos de idade.

Minha madrinha Nossa Senhora
Está admirada de mim.
Está me olhando agora
Os olhos virados para mim.

Jorge de Lima, aos 8 anos de idade.

Benedito criado de meu pai
A ele chamam diabo
Por ser preto esse rapaz
Mas Benedito é meu amigo
Por isso eu bendigo
E lhe digo muito ancho
Benedito você é um anjo.

Jorge de Lima, aos 8 anos de idade.

Tenho pena dos pobres, dos aleijados, dos velhos
Tenho pena do louco Neco Vicente
E da Lua sozinha no céu.

Jorge de Lima, aos 9 anos de idade.

O dia de hoje é o dia de anos
Da bela professora D. Moça
Oh! Colegas alagoanoa e pernambucanos
Eu peço hoje que me ouçam
D. Moça é uma santa santa viva
Seu marido João Marinho é S. José
Colegas neste dia de hoje tenham fé.

Jorge de Lima, aos 10 anos de idade.

A serra de minha terra
Sabe histórias de trancoso
E histórias da negra guerra.

Quando eu for moço
Irei lá para ver de cima
O sobrado da família Lima.

Jorge de Lima, aos 10 anos de idade.

Hoje acordei cedo e tenho por minha vez resolvido lê algumas poesias do Jorge de Lima, então peguei uma antologia que uma das minhas amigas poetisas tem presenteado-me, e nessa antologia encontra-se os poemas do Jorge de Lima selecionados pelo Paulo Mendes Campos, e publicado na editora Segunda Edição.

Escrever sobre as coisas que se passam no dia a dia, quem sabe tem sido um dos grandes exercícios do Jorge de Lima, exercício esse que marcou a sua infância, para o enriquecimento dos seus versos. A tentativa dos primeiros versos rimando “versos com belos” e “Lau com lá” (assim fazendo até mesmo um trocadilho), “carneiro com versos”, “sim com mim”, e na última quadra o Jorge de Lima não faz rima escreve “escola com ele” e por fim “Lau com b, a, bá”. A vontade de aprender versos com o amigo Lau, e não o b, a, bá, tudo dependia da autorização do pai.

Aos 8 anos mostrava a sua visão e crença, escreve sobre a madrinha Nossa Senhora, dizendo que ela estava admirada por ele, devido ao olhar que “que ela fazia para ele”. No verso seguinte, também aos seus 8 anos de idade, ele escreve sobre o Benedito, o criado do pai dele, assim apontando o preconceito daquela época, onde chamavam o Benedito de diabo, por ele ser “preto”, mas para ele (Jorge de Lima), o Benedito era um anjo.

Assim os versos do Jorge de Lima vai ganhando um cunho social, mostrando até mesmo os seus proprios sentimentos nas suas escritas, que por sua vez se tornou nesse tempo uma espécie diário, onde ele desabafava o que via, o que sentia…  aos 9 anos escreveu que tinha pena dos pobres, dos aleijados, dos velhos, do louco Neco Vicente e da lua sozinha, ele trasnformava o que via de triste em poesia, e a lua tornou-se algo poético, nas suas palavras.

O soneto é uma forma fixa que vem sendo escrita até em nossa atualidade por diversos poetas, e é um estilo que veio de geração para geração, e o Jorge de Lima tem escritos diversos sonetos:

Canto II
Subsolo e Super Solo

I

É preciso falar-se das criaturas,
verdadeiras criaturas animadas,
das vivências totais, arbítrio e tudo,
alma, corpo funesto e essa imortal

Perpetuidade além, Deus nas alturas,
nomes de terra e nomes esternas,
anjos, demônios, sonhos acordados
e as profecia, fúrias, posses, tudo

que um poema pode ter: esse clamor,
essa indefinição, esses apelos,
– sonhos de rei Nabucodonosor,

que depois de refeito e decifrado
é a condição so bicho: carne, pêlos,
e sangue breve do homem desgraçado.

Jorge de Lima

Muitos poetas faziam sonetos, fazendo uso de alguns algarismos como título de suas composições, e o Jorge de Lima também tem feito isso, como na poesia a cima, assim separando algumas de suas poesias fazendo uso de alguns algarismos, e fazendo uso de algumas etapas com o título “Canto I”, “Canto II”, isso leva-me a algumas leituras do livro Invenção de Orfeu, da autoria dele, é claro que nem todas as suas poesias são boas, também tenho as minhas críticas a fazer, das poesias do Jorge de Lima, principalmente quando o poeta muitas das vezes escreve longas poesias (não e o caso dos seus sonetos), quem sabe seja algo que possa trazer aqui, daqui a alguns meses ou anos. O que se sabe é que todo poeta tem uma poesia ou mais que se destaca diante as outras, é o que aconteceu com muitos poetas, e o Jorge de Lima não é diferente, o mesmo quando se trata de obras, sempre tem uma obra que se destaca mais do que a outra.

Antologia Poética - Jorge de Lima

Livro que traz poesias do Jorge de Lima, selecionadas pelo Paulo Mendes Campos.

 

 

O Cantar de Catullo da Paixão Cearense

Serenata no céu
A Vasco Lima

Zoilos! Parvos arentinos!
Ceiticóides pequeninos!
Passadistas refratários!
Futuristas – legionários
dos maiores desatinos!
Poetastros retardatários!
Reis e príncipes cretinos!…

Vêde, pobres cerebrinos,
minha glorificação!

Numa dessas noites belas
tôda branca, tôda nua,
noite de recordação,
eu ouvi Deus e seus anjos,
em serenata às estrêlas,
cantando dentro da lua
o meu “Luar do sertão”.

Catullo da Paixão Cearense

Não é a primeira vez que público algo falando sobre o Catullo da Paixão Cearense, acredito que é de suma importância escrever sobre este poeta que muito tem traçado o sertão, com belas escritas, que tracam o Brasil. Na passagem dos versos a cima, dedicado ao Vasco Lima, ele fala do seu reconhecimento quanto poeta, e por fim cita uma das suas grandes escritas “Luar do sertão”, poesia musicalizada e cantada até nos dias atuais por diversos cantores sertanejos.

Catullo da Paixão Cearense, nasceu em São Luís, em 8 de outubro de 1863, muitos o coloca como poeta, músico e compositor brasileiro. Pelas suas poesias musicalizadas e com grande estilo e melodia, assim mostrando a beleza do traçar poético e até mesmo a fala do seu povo. Pesquisei por alguns anos um pouco sobre o Catullo, e encontrei em nossa atualidade diversos sites que escrevem o nome dele “Catulo” e não “Catullo” com duas letras “L”.

Nota Explicativa - Servindo de Prefácio

Neste prefácio vemos as palavras do Catullo, falando sobre a solicitação do Guimarães Martins para que ele fizesse uma seleção dos poemas dele. Assim Catullo diz que tem aplaudido a ideia do Guimarães Martins, e diz ter incluido na coletânea, algumas das Modinhas da Velha Guarda, para que o leitor pudesse conhecê-lo como trovador das antigas serenatas. Por fim o nome dele, Catullo da Paixão Cearense, e algumas notas importantes.

Neste livro, onde o Catullo tem selecionado alguns dos seus principais poemas, se encontra a palavras de grandes intelectuais daquela época, o que mostra a consagração dele, como um intelectual, assim fazendo com que ele escreva até algumas escritas falando sobre isso. Quem sabe até ele mesmo não imaginava que um dia iria ser prestigiado pela beleza de suas escritas.

Poemas escolhidos, de Catullo da Paixão Cearense

Capa do livro de Catullo da Paixão Cearense, titulado “Poemas Escolhidos”, Edições de Ouro.

Até mesmo o nome de batismo de Catullo é escrito com duas letras “L”, ele foi batizado na Paróquia de N. S. da Vitória, da Catedral, aos dias 27 no mês de janeiro de 1864. Filho legítimo de Amâncio José da Paixão Cearense e dona Maria Celestina Braga da Paixão. Até mesmo no nome  dos pais de Catullo, alguns dos dados bibliográficos não traz algumas palavras eles escrevem que o Catullo é filho de José Paixão Cearense e Maria Celestina Braga, assim eliminando a palavra “da” no sobrenome.

Não sei dizer se seria um erro de quem escreveu a biografia do Catullo da Paixão Cearense na Wikipédia e nos demais sites de busca da Google, ou se muitos pegaram um pouco um do outro. Mas, acredito que muito se foi modificado na obra do Catullo, e que não deveriam modificar o nome dele, quanto um nome registrado no cartório e quanto também um nome artístico.

Certidão de batismo - Curia Metropolitana

Certidão de batismo – Curia Metropolitana Catullo da Paixão Cearense, batizado na Paróquia de N. S. da Vitória, em 27 de janeiro de 1864.

Neste mesmo livro Poemas Escolhidos, também encontramos dados biograficos, que também acredito ser importante publicar aqui, dados este levantado  pelo Guimarães Martins sobre o Catullo da Paixão Cearense.

Dados biográficos de Catullo da Paixão Cearense

Dados biográficos de Catullo da Paixão Cearense, por Guimarães Martins.

Marruêro
A Alberto Nunes Filho, Oscar Peixoto de Barros, Silvino Porto Coelho, Otávio Ferreira e Dorival Alves

Êste marruêro moço vai cantar o seu caso a outro marruêro velho, centenário, celibatário e tocador de viola, como êle.

Esta a razão por que o autor substituiu o vocativo – Sá Dona – Por Marruêro.

Marruêro, eu sou marruêro!…
Nascendo, cumo tinguí,
fui ruím, cumo piranha,
mais pió que sucurí.

Pixúna daquelas bandas,
véve a gente a campiá!…
Deus fêz hôme, marruêro,
prá vivê sêmpre a lutá.

Meu pai foi bixo timíve
e eu fui timívi também!
O pinto já sai do ovo
cum a pinta que o galo tem.

Se meu pai foi marruêro,
haverá de eu tá tóca,
a rapá no caitú
a massa da mandioca?!

(…)

Catullo da Paixão Cearense

Nessas quadras e em muitas das poesias de Catullo, vemos que ele segue uma linhagem, assim obedecendo as pontuações, na lateral do poema, não sei  se foi algumas interferências feitas pelos editores, e se a poesia foi sofrendo também algumas mudanças. O poeta apesar de escrever a fala do povo, ele seguia uma linhagem em suas escritas, que mostra também o valor e a sua importância quanto um poeta, cantador e músico  (como também é apontado).

Papo de blogueiro?

Hoje tenho resolvido passar parte do meu tempo em meu site, quem sabe foi uma das melhores coisas que eu tenho feito. Fiz umas configurações ali e outra acolá, na verdade a maioria das configurações foram internas.

Não fiz mudanças quanto ao modelo, a cor, título, inclui alguns Widgets, coloquei suporte para direcionar meus leitores diretamente para as minhas redes sociais, atualizei algumas informações pertinentes ao site, assim fazendo os devidos ajustes e aperfeiçoamentos.

Acredito que um dos melhores locais para fazer um site é o WordPress, não que eu venha a descartar os demais suporte para a criação de site, até porque conheço vários destes suporte, só que hoje em dia venho me dedicando a conhecer mais o WordPress, da mesma forma, que tenho buscado conhecer um pouco mais o Blogspot, Tumbr, Uolblog, dentre outros sites.

Uma experiência e tanta, penso de quais postagens venho trazer aqui, na verdade é algo que sempre faço, uma avaliação de cada uma das minhas postagens, poesias, textos, artigos, resenhas…

Gosto disso, de sempre rever tudo o que já tenho feito, e foi assim que fui fazendo as devidas configurações, ciente de que daqui a alguns meses poderei fazer outras.

Valter Bitencourt Júnior

Valter Bitencourt Júnior, nasceu em Salvador, Bahia, Brasil, em 25 de junho de 1994, é anarquista, poeta e escritor brasileiro. Filho de Maria Lúcia da Silva e Valter Bitencourt, tem dois irmãos e uma irmã (Vagnei, Leandro e Lucielle) estudou o ensino primário na Escola Estadual Nossa Senhora de Fátima e concluiu os estudos no Colégio Estadual Dinah Gonçalves.

Quem fala? Vamos ao Terceiro Tempo!

Muitas das vezes depositamos a crença em uma única pessoa, como se ela fosse impecável, e nunca vai ter quaisquer tipo de falha, pois ela tem de acertar tudo. Quem sabe seja o que muitos depositam no Neymar Júnior, como se ele tivesse que sempre fazer gol, e que ele tenha de sempre está com a bola no pé, driblando um e outro, e sempre se exibindo e sendo exaltado pela mídia.

FB_IMG_1529279960664

E é o que ele de fato busca mostrar, claro, ele quer mostrar o que as pessoas veem nele, uma pessoa que vai além da sua capacidade, quanto jogador de futebol, muitas das vezes esquecendo quem se encontra ao lado dele? Acredito que não, ele também passa a bola, e torce para que a pessoa do time dele também faça um gol, só que as pessoas e a mídia quer que apenas o Neymar o jogador que tem de  se sair bem.

A mídia idolatra, faz as pessoas muitas das vezes gostar e também não gostar de um determinado jogador (o mesmo acontece nos meios artísticos e cultural, cantores, atores…), o mesmo que muitas das vezes levanta, são também os mesmos que derrubam, e eles também tem todo esse poder. E nós quantos fãs, nos decepcionamos, pelo fato de que não aceitamos a perda e queremos sempre a vitória do nosso time, e quando perde, sempre depositamos a culpa no líder, na pessoa principal que a mídia destaca.

FB_IMG_1529279966792.jpg

E isso é algo que sempre aconteceu, nunca vai deixar de acontecer, o que se sabe é que o Neymar Júnior, sempre vai ser um grade jogador de futebol, não pelo fato da mídia mostrar ele como um grande jogador, e muito menos pelo salário que ele recebe, e sim pelo o que ele busca mostrar em campo.

Jogo é isso, é perda, empate e ganho, e se tornar invencível fica chato, muitas das vezes é necessário perder, e claro que tem de disputar, e vença o melhor (que não sejamos tolode acreditar que temos de deixar, que ganhem e fazer de conta que tudo vai bem). O jogo somente é bom quando os dois lados dão sangue, jogam com vontade, e disputam com garra, caso contrário não vale a pena assistir.

A Sociedade é Política

   Dentro da sociedade também existe uma política entre ela, não estou me referindo a “política partidária”, mas a consciência do que é certo e errado, dentro da sociedade também existe leis criada por ela mesma, e sempre quando um comete um erro é punido em alguma forma, as vezes fazendo apenas uma cara feia, ou algumas palavras de desaforo, assim fazendo com que a pessoa que cometeu um determinado erro muitas das vezes recue. A sociedade também tem a sua própria política, ela tem a noção, que, tem de fazer o melhor para o “futuro do país”, tem que colocar os filhos na escola, tem que trabalhar, tem que criar, tem que estudar métodos e praticar.

   A sociedade também é política, ela tem a sua maneira de resolver problemas, sabe a questão da ética, de como deve fazer o certo, mesmo sabendo que pode acabar errando. Ela é sábia, tem a capacidade de se organizar, de criar as bases, de se fortalecer, de revolucionar, logo a sociedade não precisa de quem faça por ela, tudo é uma questão de consciência. Quando a sociedade permite que alguém faça por ela, o que ela pode fazer, ela permite com que façam uso dela, assim muitas das vezes usando ela mesma para lutar uma contra a outra, e a separando em “oposição” (agora eu me refiro a política partidária).

   Leis são criadas muitas das vezes para punir uns e favorecer outros, quando engrandecemos um e desfavorecemos outro, cometemos sérios erros, nem sempre somos justos no que fazemos, se existe rico é pelo fato de que existe pobre, e o sistema foi criado de cima para baixo, e não de baixo para cima. Nos oprimem, nos punem e até mesmo nos matam, para que acreditemos que o sistema presta.

   Se a sociedade é política, ela é capaz de fazer entre ela mesma, ela não necessita de “partido político”, ela é autonoma no que faz, e ela mesma se representa, fazendo àquilo que ela tem ciência que é certo. A escola se torna de todos, não vai mais existir escola pública e privada, logo a escola passa a ser aberta para toda a sociedade, assim sendo livre para que nela funcione oficinas, palestras, debates, esporte, leituras, onde todos possam ensinar e aprender. A educação tem de partir de casa, dos país, para depois vir os aprenderes com a comunidade, escola, trabalho, e é assim que funciona a sociedade, por isso que ela é política, porque através dela mesma que nasce a questão ética, dentro de cada aprendizagem, cada descoberta.

  Pensar em uma horta comunitária capaz de alimentar centenas de pessoas, criar bibliotecas, áreas de lazer, é algo que sempre vai ser importante para a sociedade, para que isso seja feito ela não vai precisar de um político, ela mesmo se une e faz, sabe por que? Porque ela sabe da própria necessidade dela de fazer, de construir, para que venha as devidas melhorias. Logo a “política partidária” se torna descartável, desde quando todos tem a capacidade de fazer, de formar mutirão, e fazer o que tem de ser feito.

  É como você convidar amigos, gente da família, e resolve bater uma laje, logo nasce a solidariedade, onde todos se unem, e também resolvem muitas das vezes até mesmo juntar dinheiro para fazer uma boa feijoada, e algumas bebidas. É como fazer quem sabe um evento para dar sopa para que todos ali se alimentem, chama toda a galera, que logo aparece fazendo fila, imagina se elas fossem convidadas para se unirem e fazer a sopa, assim aprendendo a importância da união, e da autonomia de também poder fazer, só que a partir da autonomia, surge também o coletivo, onde todos trabalham.

Valter Bitencourt Júnior

Valter Bitencourt Júnior, nasceu em Salvador, Bahia, Brasil, em 25 de junho de 1994, é anarquista, poeta e escritor brasileiro. Filho de Maria Lúcia da Silva e Valter Bitencourt, tem dois irmãos e uma irmã (Vagnei, Leandro e Lucielle) estudou o ensino primário na Escola Estadual Nossa Senhora de Fátima e concluiu os estudos no Colégio Estadual Dinah Gonçalves.