Para vocês: algumas poesias da minha autoria

Não me dê o fim!…
Quero entrelaçar o infinito
No nosso gozo
Quente, fulgurante de chamas.
Quero me ausentar,
Presentear
Quando preciso.
                  …
Não bata os olhos,
E não me dê o fim!…
Olhar poeta
Vejo cheiro de terra
Molhada.
Neste estado apaixonado,
Sinto-me presa
Dos seus braços
Suados, quentes…
Miro tudo de formas
Diferentes; vezo botões
Se transformarem
 Em flores.
Veto seus beijos
Em outro
              …
Beijo vagabundo.
Olhar poeta.
Viver
É gostoso
Você saber viver
Amar a vida
É como você
Se banhar
Em um mar
De pétalas
De lírios
É sentir o cheiro
Do lis
Vagarosamente
É belo
Saber viver
O dia
Não deixando
Que ele escureça.

Não deixe de sentir…
Casamento
Um dedo e uma aliança,
Um juramento, em elos,
Que não pode ser quebrado.
Mas muitos quebram,
Lindo seria, se vivessem
Eternamente…

 

Agressão

Um sofrimento
Que surge nos olhos
E não quer sumir,
Tantas opressões,
E em cada opressão
Uma morte na alma,
Um mundo em gelo.

Valter Bitencourt Júnior

Valter Bitencourt Júnior

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s