As luzes da cidade não permite ver as estrelas

    O poeta e  o escritor busca a inspiração pela noite, e as luzes das cidades não permite visualizar as estrelas. O poeta e o escritor não são mais os mesmos, a realidade do dia-a-dia, não se distancia dos dias passados.

    O mundo sempre foi necessitado de quem o namore, o mesmo a natureza, todo o nosso habitat, explorado pela espécie humana, pelas espécies em si. O ser faz de conta que não tem tempo para enxergar a beleza, e tudo vai escondendo a beleza, tanto das estrelas, quanto no ambiente… A natureza busca sobreviver a ambição humana.

  Poluição, desmatamento, contaminação do ar, contaminação da água e do solo. A noite mostra o céu escuro, as estrelas somem diante a clareza da cidade iluminada pela luz dos postes. O tempo mudou, e não se distancia do passado, a natureza sempre busca sobreviver as mudanças, feitas pelas espécieas e por ela mesma.

   As pessoas não namoram as estrelas, não se inspira no  ambiente que vive, as pessoas estão diante ao prédio, e as árvores vão ganhando um novo aspecto, casas tomam o lugar das  árvores, as empresas tomam posse da cidade, contamina, mata e explora não só o ambiente, quanto toda a população por sua volta.

   Não vemos a beleza que passa em instante e vai embora, as estrelas cadentes não levam pedidos, e desejos de realizações.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s