A Arapuca Está Armada

   Quando falam em propriedade privada, e armas para fazendeiros, a gente muitas das vezes venda os olhos, diante ao que querem implantar. Hoje em dia muitos índios vem sofrendo com esse governo Bolsonaro, um governo que pouco se importa com o povo indígena. E é exatamente isso, arma para quem tem recurso, e mesmo que fosse para quem não tem recurso, a arma não vai solucionar a violência que vem querendo tomar conta do Brasil.

     Armar o patrão para que eles explorem os empregados, é o que estão fazendo também, ao armarem fazendeiros, pessoas de locais violentos.

    Semanas atrás eu estava lendo uma notícia, que fala a quantidade de mulheres que foram assassinadas através de arma de fogo, uma arma em casa, é um grande perigo para quem já leva um treinamento todos os dias, imagine para o “cidadão de bem”, se não é um grande risco tanto para a  comunidade, quanto para ele mesmo, o número de suicídio através de arma de fogo vai aumentar, assim  como já veio acontecendo em países que liberaram a arma de fogo.

   Perigo para criança, pais que se arrependeram em ter colocado arma dentro de casa, uma criança assassinou outra por acidente,  imaginem o  perigo, não  adianta ter cofre, quem  compra arma, compra  para usar, e nem sempre a arma é usada como uma forma de defesa.

     O Brasil já é um país em que milhares de pessoas já morrem através de arma de fogo, e  liberam arma de  fogo para o “cidadão de bem”, isso também vai gerar dinheiro para as fabricantes de armas, quanto mais arma mais violência será, e isso  é algo que não temos dúvida alguma.

images.jpeg

Anúncios

Fazendo Uma Viajem no Livro: Sertão Japão

     Aquela poesia curta, que chega na visão do leitor e penetra na alma, que faz o leitor viajar. Sim, foi o que se passou comigo, na leitura do livro, Sertão Japão, quando eu li o haikai:

o ovo no ninho
voo da asa branca
canção do exílio

Página: 13, Sertão Japão, de Xico Sá, Editora Casa de Irene.

   Essas palavras me levaram ao principio, ao nascimento, ao local de origem, ao sertão, e as nostalgias, como se eu estivesse  distante da minha terra, e precisando regressar.

   Quem sabe tudo isso seja sentido, quando corremos para a música “Asa Branca”, cantado por  Luiz Gonzaga e a poesia “Canção do Exílio”, do Gonçalves Dias. Foi exatamente o que se passou em minha mente,  em forma de imagem. Palavras do Xico Sá, três versos, e um grande retrato, no livro “Sertão Japão”.

Seguindo adiante, leio no livro Sertão Japão:

as quatro estações
são apenas duas
a do sol e a da chuva.

Página: 30, Sertão Japão, de Xico Sá, Editora Casa de Irene.

    Mais uma imagem, a da sêca, muitos perdendo o gado, o plantio sem nascer, todos aguardando a chuva, para que o sertão ganhe vida e beleza.

   A citação de dois grandes cantadores populares, o Cego Aderaldo e o Zé Limeira:

Cego Aderaldo
Ray Charles de repente
na feira do Crato

Página: 36, Sertão Japão, Xico Sá, de Editora Casa de Irene.

fuá em cabaceiras
na festa do bode-rei
Breton e Zé Limeira

Página: 79, Sertão Japão, de Xico Sá, Editora Casa de Irene.

20190119_151819.jpg

Vida Clandestina: Vida Que o Tempo Busca Apagar

   O livro Meu Amigo Antônio Por Entre a Ditadura Militar e Civil: Uma Vida Clandestina, conta  um pouco da história de Antônio Fernandes Mendes (Quixeramobim/CE, 1936 – Salvador/BA, 2015), foi uma das vítimas da ditadura militar. Antônio teve que se refugiar da própria terra natal para o sul do país e aos poucos foi descendo para o Nordeste, passando a morar na  Bahia, a partir de 1972. Antônio Fernandes Mendes, criou e ajudou a fundar diversos sindicatos no Ceará, deu aula de forma clandestina fazendo uso do método Paulo Freire.

     Sobre o livro Meu Amigo Antônio Por Entre a Ditadura Militar e Civil: Uma Vida Clandestina, acostumo a dizer que também é um livro clandestino, pelo seguinte fato de eu mesmo ter redigido, e publicado de forma autônoma, agradeço a Conceição Ferreira pela compra do livro impresso, através do Clube de Autores, o mesmo pode ser comprado através das principais livrarias e lojas virtuais: Lojas Americanas, Mercado Livro, Livraria Cultura, Estante Virtual, Amazon, CanalShoptime, Submarino, Walmart, Magazine Luiza… e em e-book também através do Google Play e Google Play Livros.

    Na Bahia, Antônio Fernandes Mendes, criou junto com a comunidade local, o projeto “Horta Natureza”, ao longo do tempo esse projeto foi ficando conhecido como  ISVA (INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL DO BAIRRO DE VALÉRIA),  onde funcionava também a Biblioteca Comunitária de Valéria Prof José Oiticica e o cineclube do bairro. Fez diversas palestras e oficinas, em locais  públicos e privados, escolas, universidades….   fundou sindicatos na Bahia também.

Conceição Ferreira

Conceição Ferreira, com o livro “Meu Amigo Antônio Por Entre a Ditadura Militar e Civil: Uma Vida Clandestina”, por Valter Bitencourt Júnior. Em Lauro de Freitas, 19 de janeiro de 2019.

 

A Corrupção Não Acabou!

   Depois que o dinheiro foi desviado dos cofres públicos, seja qual for o valor, esse recurso jamais vai voltar aos cofres públicos em sua totalidade.

   Dinheiro que por sua vez seria investido na educação, saúde, esporte, infraestrutura… Veio e continua sendo desviado, obras que não acabam, e por sua vez é dada como concluída, empresas também se aproveitando e se beneficiando do dinheiro publico. A sociedade contribue pagando imposto, e por vez dela é roubada, por políticos de diversos partidos, e grandes empresários.

   Muitos dizem que a corrupção é  apenas  do PT, e acabam esquecendo dos outros partidos, que por  vez deles também fizeram parte, e continuam fazendo parte, alguns até tentam esconder a sujeira debaixo do tapete. Os que entraram na política falando que vai acabar com a corrupção, também são corruptos, não há nada de novo na política brasileira, o presidente eleito já fez parte de 8 partidos diferentes (PDC, PP, PPR, PPB, PTB, PFL, PSC e atualmente PSL, ele fez parte do PP duas vezes), incluiu também a família na política.

    Hoje em dia abrimos o jornal, e lemos a polêmica que a família Bolsonaro vem fazendo, o motorista Queiroz sendo a laranja, do Flávio Bolsonaro; Flávio Bolsonaro querendo se esconder atrás do Foro Privilegiado, ministro Luiz Fux atendendo o pedido do Flávio Bolsonaro para parar as investigações contra o Queiroz, 48 depósitos suspeitos na conta de Flavio Bolsonaro, somando quase 100 mil reais. Ano passado durante as eleições, a notícia  corria que o filho do Bolsonaro aumentou o patrimônio em 432% em 4 anos.

    E a corrupção não é apenas do PT, é dos demais partidos também, inclusive do PSL, que tem gente envolvida nos esquemas de corrupção, tenho escrito sobre isso ano passado, e escrevo novamente.

images (1).jpeg

Tudo foi ficando diferente

   Uma das coisas que eu mais gostava de fazer era abrir o dicionário e recorrer a algumas palavras, muitas das vezes acostumava apenas abrir o dicionário e ler a primeira palavra que aparecia na frente, eu tinha isso como um exercício. Ao longo do tempo fui perdendo esse hábito.

    Gostava muito de ler alguns romances, e passar para alguns papéis em branco as palavras que eu ainda não conhecia, em seguida pesquisava ambas em dicionário, o mesmo eu fazia quando via algumas palavras desconhecidas em algumas poesias, contos, crônicas, prosa.

    E ao longo do tempo fui perdendo o gosto, a gente acostuma a perder gosto pelas coisas boas. Hoje em dia, mal abrimos um dicionário, recorremos ao Google, por achar que é a forma mais fácil de encontrar o significado das palavras, e assim também fui perdendo o gosto de muitas coisas além de buscar as palavras no dicionário.

   A leitura foi deixando de ser a mesma, tudo foi se tornando eletrônico, e quanto mais se pensa que vai ler, menos ainda ler, o tempo vai se perdendo nas redes sociais, e a escrita, muitas das vezes enfraquece e em outras parece querer se tornar forte, as palavras nem sempre quer ganhar sentido, muitas das vezes ganha o sentido e depois se perde.

   E o dicionário, é o denotativo que eu quero buscar, diante as conotações, muitas das vezes tudo vai se tornando necessário, e pede para criar o gosto novamente.

images (3).jpeg

Haikai

   São poucos os poetas que se dedicam ao haikai, no Brasil. Uma escrita de origem japonesa composta por 3 versos, sendo que o primeiro verso tem 5 sílabas, o segundo 7 e o terceiro 5, somando o total de 17 sílabas.

   Hoje em dia, o  Haikai vem sendo escrito sem muita preocupação com a métrica. poemas curtos, sempre com três versos, nem sempre obedecendo a sílaba (5,7,5).

    Quem sabe  o verso livre veio possibilitando que o poeta, escreva não apenas o Haikai como também outros poemas tradicionais (como por exemplo o soneto) sem obedecer a sílaba, e também sem fazer o uso de rimas (muitas das vezes).

images

Governo Bolsonaro Quer Matar a Marielle Franco Outra Vez – Deu na Folha de S. Paulo

   Ontem, dia 07 de janeiro de 2019, às 2h, foi publicado um arigo no Folha de S. Paulo, por Antonia Pelegrino e Manoela Miklos, titulado como “Marielle Não Vive“, e de fato é o que vem se passando no governo Bolsonaro, ele pouco vem se importando com a morte da Marielle Franco, sequer tem tido quaisquer tipo de consentimento para  com a família dela.

    É o que eu tenho trazido aqui nesses dias, cobrando ao Bolsonaro, e ao PSL – Partido Social Liberal, que deem a resposta sobre a morte da Marielle Franco, quem a matou, por que a matou… Se a gente calara boca, a mídia por vez dela resolver não falar sobre o caso Marielle Franco, as investigações não demoram a serem deixadas de lado, como muitos casos, que envolve assassinato de políticos, um verdadeiro crime organizado, que requer muita investigação.

images

Atenção: Estão Criando Perfis Falsos Fazendo Uso do Nome do Site Clube de Autores Nas Redes Sociais

Criaram  perfis falsos, fazendo uso do nome do site Clube de Autores, no Instagram, Twitter e Facebook. Hoje pela manhã eu fui notificado pelos administradores do site, através do Instagram, enviei um e-mail, e segundo Fred:

Oi Valter Estamos tomando as medidas cabíveis a respeito e recomendamos que denuncie a página em questão. Abraços, Fred atendimento@clubedeautores.com.br Site: www.clubedeautores.com.br Facebook: www.facebook.com/cdautores Twitter: twitter.com/clubedeautores

Ajudem  a denunciar para que não acabe surgindo novas pessoas acreditando que venha a ser de fato os administradores do site Clube de Autores, e quem sabe até caindo nas mãos de esterionatários.

Quaisquer tipo de dúvida é melhor entrar em contato através do e-mail: atendimento@clubedeautores.com.br

20190107_134219.png

images

Leitura de 2019: Sertão Japão, da autoria de Xico Sá

Acabei de  receber a minha primeira  leitura de 2019, Sertão Japão,  da autoria de Xico Sá, com  a ilustração de José Lourenço (xilogravura), Editora Casa de Irene, um grande abraço!

Sertão Japão, autoria se Xico Sá

Sertão Japão, autoria se Xico Sá.

 

Autógrafo de Xico Sá para Valter Bitencourt Júnior, livro Sertão Japão

Autógrafo de Xico Sá para Valter Bitencourt Júnior, livro Sertão Japão.