Nostalgia


Pra mim o rio já te cansou;
A maré te levou;
O passado te machucou
O hoje já morreu
O ontem sequer ressuscita
Os seus prantos se secaram
As cachoeiras se afugentaram
Por te verem as nuvens
Desmancharam-se
E a pergunta fica
O que tanto te fustiga?

Fuga


Fugirei dos seus braçosAo perceber que, diante do gatilho,Estou completamente perdido por você,Desculpa! Se estiver sendo baixoSó não quero corromperAs montanhas,Tenho medo da neblina.Seja minha ninfa!Mas quero um poucoCurtir a vida…Um dia a fareiMeu universo, minha rainhaSerei seu dia,Por enquantoDa paixão serei de vocêUma fuga.

Caverna sombria


Inusitado os seus olhosSujos; coerentes; imundosIrônico os seus sorrisosFingidos; disfarçados; bem desenhadosDeslumbrantes os seus olhos,Atravessam os meusQuando procuro o interior do seu serDentre o romper das cachoeiras,Me sufocarei nos seus braços,No cantar dos sábias,Procurei inspiraçãoPara desenhá-la, para traçá-la,Descrevê-laNo branco das nuvensNa brisa que procuraSerei a sua luzQue a guiará até o fimDe uma cavernaSombria.

Baile


Uma característica a amenizarUm ponto, uma suavidadeE um encontro assíduo,Como o impossível.Tudo pode ocasionarUm espanto,Uma destruição,Quando foge do lugar,Ou não encontra o seuSentido.Mas, de todas as marcasO ponto é um sítio.Um jovem, e uma garotaO corpo esquenta, o sangueCircula, os nervos a voar,Pensou que não, no extremo,Os olhos vibram, o corpo esfriaE tudo ameniza emContinuar lendo “Baile”

Crônica: Celebração, Luto, Leitura…


Hoje eu tenho iniciado a leitura do livro “A Propriedade é Um Roubo”, o meu dia iniciou-se com várias reflexões, ao que vem se passando em nossa atualidade. Um dia especial que marca a luta pelos direitos trabalhistas, direitos esses que foram conquistados graças a muita luta. Tenho acompanhado através do Facebook postagens que falamContinuar lendo “Crônica: Celebração, Luto, Leitura…”