Acampamento Terra Livre: Em Defesa Dos Direitos Indígenas


Tradição, história, cultura, identidade. Devido à #Covid19, o #ATL2020 está sendo totalmente online e você pode acompanhar a programação do 3º dia em defesa dos direitos indígenas nos canais da @ApibOficial de onde estiver. https://t.co/RduPQ6Lz1B Via: Greenpeace

Conversa Com: Hirondina Joshua, Valter Hugo Mãe e Sandra Tamele – Moderação: Eduardo Quive


Educação especial online – Conversa Com: Hirondina Joshua, Valter Hugo Mãe e Sandra Tamele – Moderação: Eduardo Quive

Sina


A tragédia
Também produz dinheiro,
Para quem vive
Na ambição
De tirar proveito.
Tem gente lucrando
Da nossa miséria,
Tem gente lucrando
Da nossa desgraça,
Tem gente
Manipulando a nossa
Mente,
Tem gente zombando
Da gente.
Tem gente
De tudo que é jeito
Que tira proveito
Da nossa crença,
Que brinca
Com a nossa humildade,
Que brinca com a nossa
Lealdade:
– Sociedade vivendo na cegueira.
Tem gente que nos separa
Em oposição.
E sustentamos
Todo o sistema,
Para o nosso próprio
Desespero,
E ser visto
Como bom
Cidadão.

Baita de Uma Lembrança do Facebook à Antonio Carlos Secchin


O Facebook lembrou ao poeta e acadêmico da Academia Brasileira de Letras, Antonio Carlos Secchin (Rio de Janeiro, 10 de junho de 1952), uma publicação feita em 23 de abril de 2015, às 13:45. Nessa publicação se encontra a foto que registra o mestre Antonio Carlos Secchin, autografando o livro de autoria dele para o Luiz Alfredo Garcia-Rosa (Rio de Janeiro, 16 de setembro de 1936 – Rio de Janeiro, 16 de abril de 2020).

Mãe terra


Salve a mãe terra,
A mãe terra que nos habita,
Salve!
Salve a mãe terra,
Que nos alimenta,
Salve a mãe terra
Que nos nutre,
Salve!
Salve a mãe terra,
Terra que nos cria.
Salve a mãe terra,
Com amor.
Salve a mãe terra
Que muito quer esbanjar beleza.
Salve a mãe terra,
Que muitos estão destruindo!
Salve a mãe terra!
Tenhamos consciência,
A mãe terra faz parte
Da nossa existência!

Partida


Cava
A
Cova
De quem
Vai
Embora,
Sem a despedida.
Não há consolo
Abraço
Para quem fica.
Cava
A cova
De quem parte
E vira estatística
Nem todos
Se importa
Com a vida…
A
Vida
Do outro
Que vai
– Fica esquecida.
Não resta
Mais memória,
Queima
Os arquivos
Da história.
E espalham
Que nada
Vem sendo
Realidade
No coração
Humano
Também há
Maldade.
Cava
A cova
No mundo
De pessoas
Viva e por dentro
Morta.

Valter Hugo Mãe Vai Celebrar 105 Anos do Theatro Circo


Hoje. Em directo no instagram @valterhugomae. Às 16h de Portugal. 12h do Brasil. Meia-hora de conversa e leituras para celebrar os 105 anos do Theatro Circo.  Via: Valter Hugo Mãe