Carpe diem


Vai a despedida de quem veio e já se foi
Fica a tristeza, a Nostalgia futura,
As lembranças eternas de toda uma passagem
Fica a memória, as perspectivas.

Descem as lágrimas na busca de consolo,
Torna o ser sensível, perde-se o ego,
A vaidade… Nasce a incompreensão
Renasce a compreensão.

Assim o ser vai se tornando forte
Em cada despedida. Renasce a esperança
O querer aproveitar a vida

Enquanto há vida. Quanto custa aproveitar
Cada momento, instantes, segundos
Em paz, afeto, amor?…

Publicado por Valter Bitencourt Júnior

Valter Bitencourt Júnior, nasceu em Salvador, Bahia, Brasil, em 25 de junho de 1994, é anarquista, poeta e escritor brasileiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: