Vaza Jato: os bastidores das reportagens que sacudiram o Brasil (Finalista do Prêmio Jabuti)

O livro “Vaza Jato: os bastidores das reportagens que sacudiram o Brasil”, autoria de Letícia Duarte, do The Intercept Brasil, é finalista do Prêmio Jabuti.


O livro “Vaza Jato: os bastidores das reportagens que sacudiram o Brasil”, autoria de Letícia Duarte, do The Intercept Brasil, é finalista do Prêmio Jabuti.

À venda na Amazon.

“”A Vaza Jato, investigação jornalística sem precedentes na história do Brasil, virou livro e ele está imperdível.

O leitor encontrará aqui uma extensa reportagem da jornalista Letícia Duarte. Ela realizou entrevistas com a equipe do Intercept e ouviu também outras fontes para contar os bastidores eletrizantes por trás da série de reportagens que sacudiu o país.

Na segunda parte do livro há uma seleção de matérias publicadas pelo Intercept durante a Vaza Jato. Ao final, duas reportagens inéditas, editadas com exclusividade para o livro: uma sobre as relações dos procuradores com a Rede Globo, e outra sobre o dia da condução coercitiva do ex-presidente Lula.”

Capa do livro “Vaza Jato”, autoria de Letícia Duarte.

Parabéns, Aleilton Santana da Fonseca, Indicado Como Finalista do Prêmio Jabuti

O escritor Aleilton Santana da Fonseca, é o mais novo finalista do prêmio Jabuti, com o livro “A terra em pandemia”.


A editora Mondrongo, parabenizando o autor.

O escritor Aleilton Santana da Fonseca, é o mais novo finalista do prêmio Jabuti, com o livro “A terra em pandemia”.

Livro à venda na Amazon.

Conhecido na literatura como Aleilton Fonseca, nasceu em Firmino Alves/BA, em 21 de julho de 1959, é poeta, ficcionista, ensaísta e professor universitário. Autor dos livros:

  • 1981: Movimento de Sondagem;
  • 1984: O espelho da Consciência;
  • 1994: teoria Particular (Mas Nem Tanto) do Poema – Ou Poética Feita em Casa;
  • 1996: Enredo Romântico, Música do Fundo, manifestações Lúdico-Musicais no Romance Urbano do Romantismo (ensaio);
  • 1996: Oitenta: Poesias e Prosa. Coletânea Comemorativa dos “15 Anos dos Novos”;
  • 1997: Jaú dos Bois e Outros Contos;
  • 2000: Rotas e Imagens: Literatura e Outras Viagens;
  • 2001: O Desterro dos Mortos;
  • 2003: O Canto da Alvorada;
  • 2004: O triunfo de Sosígenes Costa;
  • 2006: As Formas do Barro & Outros Poemas;
  • 2006: Nhô Guimarães;
  • 2007: Todas as Casas (conto);
  • 2008: Les Marques du feu et Autres nouvelles de Bahia;
  • 2008: Guimarães Rosa, écrivain brésilien centenaire;
  • 2008: Tradução de Dominique Stoenesco);
  • 2008: O Olhar de Castro Alves (ensaios críticos de literatura baiana);
  • 2009: O Pêndulo de Euclides (romance);
  • 2009: Cantos e Recantos da Cidade. Vozes do Lirismo Urbano (Junto com Rosana Ribeiro Patricio);
  • 2010: A Mulher dos Sonhos e Outras Histórias de Humor (conto);
  • 2012: Memorial dos Corpos Sutis (novela);
  • 2012: As Marcas da Cidade (conto);
  • 2012: Sosígenes Costa os melhores Poemas;
  • 2012: O Arlequim da Pauliceia. Imagens de São Paulo na Poesia de Mário de Andrade;
  • 2012: Um Rio nos Olhos/Une rivière dans les yeux;
  • 2012: Jorge Amado nos Terreiros da Ficção (ensaio) (Organização: Myriam Fraga, Aleilton Fonseca e Evelina Hoisel);
  • 2013: Jorge Amado: Cem Anos Escrevendo o Brasil (ensaio) (Organização: Myriam Fraga, Aleilton Fonseca e Evelina Hoisel);
  • 2013: Un Río en Los Ojos;
  • 2014: Jorge Amado: Cacau a Volta ao Mundo em 80 anos (ensaio)

Sua obra mais recente é “A terra em pandemia”, já mencionado a cima. Obra essa também traduzida para italiano.

“A terra em pandemia”, traduzido para italiano “La terra in pandemia”, à venda na Amazon.

Leia mais sobre o autor: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Aleilton_Fonseca

É mais que necessário aprender a amar!

É mais que necessário aprender a amar, amar as pessoas que circulam por nossa volta, por mais que ela não apresente amor, amar as árvores, o cantar dos passarinhos, os rios e suas nascentes, as cachoeiras, amar os animais, amar a vida.


É mais que necessário aprender a amar, amar as pessoas que circulam por nossa volta, por mais que ela não apresente amor, amar as árvores, o cantar dos passarinhos, os rios e suas nascentes, as cachoeiras, amar os animais, amar a vida.

Mais que necessário jogar de lado as desavenças, é mais que necessário aprender a ser compreensível, é mais que necessário entrar em consenso, quebrar as barreiras do preconceito. E na falta de amor aprender a amar novamente. Criar amigos ao invés de inimigos, não perder a esperança de que ainda há pessoas boas nesse mundo.

Aprender a amar a si mesmo e nesse aprender a amar a si mesmo germinar o que há de melhor dentro de si. Levar ao próximo palavras de conforto, saber abraçar, saber sentir o outro e ter misericórdia, compaixão e mais e mais amor.

É mais que necessário buscar a paz e levar a paz, assim compreendendo que somos todos irmãos e que o nosso sangue tem a mesma cor, aprender a viver a vida, fugir das ilusões, não criar perspectiva demais. É mais que necessário aprender a escutar o sim e o não.

Jamais perder a utopia, sempre acreditar num mundo melhor, mundo este que respiramos e que aprendamos a compartilhar do mesmo ar que respiramos.

Amanhã: Lançamento Livro Vencedor do Prêmio SESC de Literatura 2021

Amanhã, 09, Diogo Monteiro, vencedor do Prêmio SESC de Literatura 2021, terá o livro “O que a casa criou”, lançado, pois o livro mencionado a cima foi vencedor do prêmio SESC, na categoria conto. SESC de Literatura Santo Amaro Recife/PE, é um dos meios de incentivar os autores, que por sua vez vem contribuindo com a literatura.


Sidney Rocha, divulgando no Meta (Facebook).

Amanhã, 09, Diogo Monteiro, vencedor do Prêmio SESC de Literatura 2021, terá o livro “O que a casa criou”, lançado, pois o livro mencionado a cima foi vencedor do prêmio SESC, na categoria conto. SESC de Literatura Santo Amaro Recife/PE, é um dos meios de incentivar os autores, que por sua vez vem contribuindo com a literatura.

%d blogueiros gostam disto: