Destino


Nem tudo tem que ser assim,
Do sol, ao vento derrubando
Acalantos.

Nunca menti pra você
Nunca lhe disse a verdade.

Cada parte, cada traçado, cada
Momento, cada lamento, cada
Tormento em ternuras.

Só quero está aos seus
Braços e sentir cada aroma
Em brisas balsâmicas
E gozar os seus cabelos
Na lira.

Quero cada passo um abraço.
Cada laço uma moldura.
Cada compasso os seus cabelos um conforto.
E fitar a cachoeira batendo
Nos seixos… Feito
O sol se pondo ao céu
Deixando pequenos olhares
Nas estrelas.

Não sei se continuo amando a vida (continuação e final)


Nos tornamos humano, quando aprendemos a entender a si mesmo e o próximo. O mundo que vivemos precisa de um abraço imenso, pois o abraço cura, necessitamos de ser abraçados e abraçarmos.

Partida


Cava
A
Cova
De quem
Vai
Embora,
Sem a despedida.
Não há consolo
Abraço
Para quem fica.
Cava
A cova
De quem parte
E vira estatística
Nem todos
Se importa
Com a vida…
A
Vida
Do outro
Que vai
– Fica esquecida.
Não resta
Mais memória,
Queima
Os arquivos
Da história.
E espalham
Que nada
Vem sendo
Realidade
No coração
Humano
Também há
Maldade.
Cava
A cova
No mundo
De pessoas
Viva e por dentro
Morta.