Ainda: Referente ao Documentário Sobre Antônio Fernandes Mendes

O pessoal da Biblioteca Emma Goldman , perguntaram o que achamos do documentário sobre o anarquista Antônio Fernandes Mendes (Quixeramobim, 1936 – 2015, Salvador), dirigido pelo cineastra Carlos Pronzato, em parceria com a Biblioteca Emma Goldman, não apenas achei, quanto acredito que é um trabalho de suma importância, para que as pessoas conheçam um pouco mais sobre a grande figura que foi Antônio, foi um verdadeiro exemplo de ser humano, simples e lutava pelos seus ideias, por uma sociedade melhor, livre e quem sabe até mesmo “justa” e com todos os seus direitos reservados.


O pessoal da Biblioteca Emma Goldman , perguntaram o que achamos do documentário sobre o anarquista Antônio Fernandes Mendes (Quixeramobim, 1936 – 2015, Salvador), dirigido pelo cineastra Carlos Pronzato, em parceria com a Biblioteca Emma Goldman, não apenas achei, quanto acredito que é um trabalho de suma importância, para que as pessoas conheçam um pouco mais sobre a grande figura que foi Antônio, foi um verdadeiro exemplo de ser humano, simples e lutava pelos seus ideias, por uma sociedade melhor, livre e quem sabe até mesmo “justa” e com todos os seus direitos reservados. No documentário passa o Gilberto, falando sobre a última vez que foi no local que funcionou o Instituto Socioambiental de Valéria (ISVA), mostrou o espaço já desconstruído e falou também das árvores e todo o meio ambiental que foi destruído, passou também as falas do irmão (João) de Antônio e de sua filha (Tânia), falaram sobre o motivo de Antônio ter de se refugiar de sua terra natal, foi um momento de medo, um tempo de ditadura, opressão, sangue, morte, prisão, não apenas Antônio, quanto um dos amigos dele tiveram de se refugiar para outros Estados. Gostei muito das falas de Eduardo e Baqueiro, falando um pouco sobre como conheceram o Antônio, Baqueiro, falou de como Antônio foi passando a adquirir o conhecimento sobre o Anarquismo, a partir de um livro chamado A Grande Revolução, autoria de Piotr Kropotkin, publicado prla editora Progresso. Eduardo e Baqueiro, falaram que foram ganhando interesse pelos projetos de Antônio, aqui na Valéria, junto a comunidade local foram ciando o cineclube do bairro, a biblioteca e projetos comunitários envolvendo a educação ambiental, atraindo também universitários e pessoas de outros Estados brasileiros e de outros países, a Doinha/Dolinha, falou um pouco do que aprendeu com Antônio, a Maria e o jovem Daniel (com o nome fantasia Paulo), também falaram sobre a sua experiência no ISVA. O português José Maria, falou sobre como passou a conhecer Antônio e como foi surgindo o apelido “Antônio Bakunin”, lembro como se fosse hoje o Antônio mostrando-me uma escrita de José Maria, citando ele. O Ricardo Líper, falou também de como foi passando a conhecer o Antônio, foi através do Roberto das Neves, o que chamou a minha atenção é que mesmo num momento difícil eles buscavam meios de interagirem a passar informações de um para com o outro, um tempo diferente dos de hoje em dia, que as pessoas se comunicam com um pouco mais de facilidade através do “Zapzap” e outros meios de comunicação. Foi lindo vê um dos moradores antigos do bairro cantando, ainda vivo aos seus 9? anos. A Isadora trouxe informações relevantes sobre Antônio e posso dizer que “fechou” com chave de ouro. Assistam ao documentário e aprendam além das palavras que vos escrevi! Valter Bitencourt Júnior, 13/11/2021, Salvador, Bahia, Brasil.

Assistam também através do canal no YouTube da Biblioteca Emma Goldman :

“Antônio Bakunin”, assistam através do canal no YouTube da Biblioteca Emma Goldman.

Antônio Bakunin: a história do anarquista Antônio Fernandes Mendes – Carlos Pronzato

Para quem não assistiu ontem, 12, o documentário:  “Antônio Bakunin: a história do anarquista Antônio Fernandes Mendes”, dirigido pelo cineastra Carlos Pronzato, em parceria com a Biblioteca Emma Goldman, pode assistir no canal do YouTube “Feira Anarquista de São Paulo”. Não apenas as pessoas que não assistiram, quanto as pessoas que assistiram e querem assistir novamente.


Para quem não assistiu ontem, 12, o documentário:  “Antônio Bakunin: a história do anarquista Antônio Fernandes Mendes”, dirigido pelo cineastra Carlos Pronzato, em parceria com a Biblioteca Emma Goldman, pode assistir no canal do YouTube “Feira Anarquista de São Paulo”. Não apenas as pessoas que não assistiram, quanto as pessoas que assistiram e querem assistir novamente.

Amanhã: Lançamento de Documentário Sobre Antônio Fernandes Mendes – Na Feira Anarquista de São Paulo

Amanhã, 12, a Feira Anarquista de São, vai fazer o lançamento do documentário: “Antônio Bakunin: a história do anarquista Antônio Fernandes Mendes”, dirigido pelo cineastra Carlos Pronzato, em parceria com a Biblioteca Emma Goldman.


Amanhã, 12, a Feira Anarquista de São, vai fazer o lançamento do documentário: “Antônio Bakunin: a história do anarquista Antônio Fernandes Mendes”, dirigido pelo cineastra Carlos Pronzato, em parceria com a Biblioteca Emma Goldman.

Estréia amanhã, às 17h.

Vem Ai: Documentário Sobre Antônio Fernandes Mendes

Documentário sobre Antônio Fernandes Mendes, por Carlos Pronzato (parceria com a Biblioteca Emma Goldman).


Documentário sobre Antônio Fernandes Mendes (Quixeramobim, 1936 – 2015, Salvador), por Carlos Pronzato, parceria com a Biblioteca Emma Goldman. Um trabalho de suma importância para que as pessoas possam conhecer um pouco a história de vida do cearense Antônio Fernandes Mendes, anarquista, cordelista, conhecedor profundo das ervas medicinais, fitoterapeuta e autodidata.

Fica a Minha Homenagem ao Cearense, Antônio Fernandes Mendes

Antônio Fernandes Mendes (Quixeramobim/CE, 21 de outubro de 1936 – 2015, Salvador/BA).


Antônio Fernandes Mendes (Quixeramobim/CE, 21 de outubro de 1936 – 2015, Salvador/BA).

Antônio Fernandes Mendes
%d blogueiros gostam disto: