Mais Uma Forma de Interagir Com os Amigos e Amigas

Meu primeiro podcast


Escute através do Spotify.

Fiz o meu primeiro podcast, li três poemas de minha autoria “Sede”, “Meu ego” e “Quero mesmo é um disco voador”, ambos os poemas se encontram no livro “Você Pode: Antologia”.

Mistério

Abriu o coração
E vestiu-se de rosa,
Rosa o tempo
Pálido que floriu
Em instantes
O dia que renasceu
Feito o pulsar
Do coração
Que despertou-se da aurora
Foi-se deslizando
Vaga-rosa.
Enxergando a nudez
E a pureza,
Os óculos visava
De forma minuciosa
Chovia no lado de fora
E a lente transbordava
E tudo transformou-se
Em neblina.


Abriu o coração
E vestiu-se de rosa,
Rosa o tempo
Pálido que floriu
Em instantes
O dia que renasceu
Feito o pulsar
Do coração
Que despertou-se da aurora
Foi-se deslizando
Vaga-rosa.
Enxergando a nudez
E a pureza,
Os óculos visava
De forma minuciosa
Chovia no lado de fora
E a lente transbordava
E tudo transformou-se
Em neblina.

Nuance

Nuance, poema de Valter Bitencourt Júnior


No coração que habita o amor
Sempre há espaço para a saudade.
Amar é sentir segundos,
Minutos, horas, momentos e instantes.
É viajar por entre a certeza
E a dúvida, é derramar lágrimas
E saber matar a falta
Com mais e mais vontade.

Voe

Voe, poema de Valter Bitencourt Júnior


Caso você tenha asas
-Voe!
Caso você não tenha asas
-Voe assim mesmo!
Voe na imaginação,
Voe no impossível,
Use o seu interior,
Voe na vida – viva.
Voe no querer – deseje.
Voe nas nuvens – flutue.
Caso você sinta-se preso
-Liberte-se!
Liberte-se de tudo aquilo
Que torna-lhe prisioneiro,
De tudo aquilo que o maltrate,
De tudo aquilo que venda os seus olhos,
De tudo aquilo que já o abandonou.
-Voe…

Eu mesmo

Eu mesmo, poema de Valter Bitencourt Júnior


Deixei o meu amor me levar
E ao partir regressei
Em meu próprio ser.
Olhando-me no espelho
Eu pude enxergar-me
E vê o quanto preciso
Amar a mim mesmo.

Valter Bitencourt Júnior
%d blogueiros gostam disto: