O Professor(a) é Um Ser Fantástico: Carta da Professora Silvia Regina Para o Escritor Sidney Rocha


Incentivar os alunos para que eles cresçam e despertem a curiosidade pela escrita, pela leitura, pela arte, pela cultura em si – é de suma importância para a formação humana e intelectual.

Essa carta (convite) da professora Silvia Regina para o escritor Sidney Rocha, faz com que eu volte a alguns anos atrás, de quando  eu estudava na Escola Estadual Nossa Senhora de Fátima, em 2009, pois nesse ano eu escrevi a poesia “Onde está o teu corpo”, para ser apresentado no projeto TAL (Tempo de Arte Literária), uma das minhas professoras chamada Sandra Zaira foi quem organizou, chamou cada um dos alunos para compor uma poesia ou uma música, pois também ia ser apresentado outro projeto chamado FACE (Festival da Canção Estudantil), neste ano eu não apresentei a poesia “Onde está o teu corpo”, poesia essa que segundo a professora Sandra Zaira, tem o estilo das poesias de Carlos Drummond de Andrade, não somente a professora Sandra Zaira tem dito isso, quanto outros amigos e amigas que leram:

Ao sentir o teu corpo perto do meu
Senti calor.
Olhei nos teus olhos,
Ganhei confiança
Nessa noite serena me apaixonei…
Ao sentir teu corpo perto do meu
Comecei a te admirar
Observei tua boca,
olhos,
orelhas,
nariz…

De cima a baixo
Começo quase sem fim…
Porque em um certo dia,
Não cheguei a ver nem os teus pés.

Mas onde esta o teu corpo
Que estava perto de mim?

Em 2010, eu compus para esse mesmo projeto TAL (Tempo de Arte Literária), a poesia “Destino” (dessa vez eu apresentei), na Escola Estadual Nossa Senhora de Fátima. Não fui um dos vencedores, mesmo assim, eu ganhei motivação e passei a vê esse projeto com bons olhos para o encontro de novos talentos (um papel de suma importância para a escola):

O passado bate em minha porta feito chamas
Carregadas por um furacão,
Enfurecidas lembranças.
Jamais separaria os meus erros dos meus fracassos,
Há coisas que não queremos que sejam eternas
Como a realidade dos seus braços:
É como comprar alguém
E não querer ser comprado;
Explorar e velar um diamante tão raro…
Mas a joia mais cara do mundo não existe
O destino está voltado pra todos
Ou simplesmente estou triste.

Em 2011, eu passei a estudar no Colégio Estadual Dinah Gonçalves, perguntei pelos projetos TAL e FACE, obtive a informação de que não ia ter esse projeto, então resolvi escrever uma carta para a direção da escola, pedindo para que tenha ambos os projetos, e também apontei na carta a importância desses projetos em uma escola/colegio público (claro). Recebi a resposta da diretora Cristiane, em que ambos os projetos iam serem realizados. Não lembro direito o poema que eu tenho apresentado, nesse ano, não sei se foi a poesia “Coração de pedra”, fiquei no segundo lugar. Mas prossigo, sabe àquela poesia “Onde está o teu corpo”, em 2012, eu apresentei no Colégio Dinah Gonçalves, foi uma das minhas maiores apresentações que eu fiz recitando esse poema, ganhei no primeiro lugar.

Em 2013, não houve o projeto TAL e FACE, foi um ano de muitas manifestações, greve, protestos e reivindicações de direito. Houve algumas gincanas e alguns projetos para que todos alunos apresentassem no pátio da escola, posso dizer com propriedade que foi um ano muito difícil para mim (mas, não é o caso que tenho de abordar no momento), neste ano eu conclui os estudos.

Por minha vez, continuo compondo e publicando as minhas poesias, faço tudo da minha forma, leio, crio e publico nos sites, blogs, redes sociais, tenho os meus erros na escrita, e vou aprendendo com os meus erros, e também tenho meus acertos.

E tenho de me alegrar, com cartas (convite) como essa da professora Silvia Regina para o escritor Sidney Rocha, que com a sensibilidade pode reconhecer essa forma linda em convidar o escritor em forma de incentivar os alunos à escrita.

Sidney Rocha, publicou no Facebook:

[FALA SÉRIO: TEM COMO DIZER ´NÃO’ A UM CONVITE DESSES?]
Quem acompanha este monólogo, aqui, se lembrará de que certa encontrei um livro de biblioteca escolar pública, levado e mantido indevidamente em recepção de consultório de classe média. E que, depois de alguma resistência, consegui restaurar o bem público de volta à Escola Municipal Ana Maurícia Wanderley. Hoje, através de carta [leia detalhes, na foto, que emocionante] de uma das professoras à escola, recebo o convite de voltar ali, agora para falar aos alunos e alunas. É sempre alegria receber esse voto de confiança de uma professora (e) de uma escola pública. Lugar de escritor é na escola, redigo, tredigo.Claro, professoras Silvia e Divane, amanhã serei o primeiro aluno a chegar, às 8h, em Água Fria, Recife.Eis a “flip” do Brasil real. Me sinto bem aqui.

Sidney Rocha, no Facebook, 01 de dezembro de 2019.

Carta (convite) da Professora Silvia Regina Para o Escritor Sidney Rocha

Carta (convite) da professora Silvia Regina para o escritor Sidney Rocha.

Grêmio Estudantil


    Bora dizer que você agora é o candidato de uma das chapas do grêmio da sua escola. Então você tem de convencer aos demais alunos de que, a sua chapa é a melhor, e que de fato vai fazer as devidas mudanças na escola, logo vai dizer, que vai lutar por uma merenda escolar melhor, por iluminação, ar-condicionado, cadeiras novas, mesas novas… então a sua chapa ganha, e você resolve fazer as devidas mudanças, e ao ir na direção conversar com as demais pessoas como representante da turma, você descobre que a escola estabelece normas vindas da Secretaria de Educação, e que eles não apenas tem de cumprir as normas da Secretária de Educação, como também aceitam que a escola tem de permanecer na forma que se encontra, até que o governo mande verbas.

   Logo o aluno percebe que ele, no meio de milhares de estudantes, ele é apenas um estudante, muitos se saem bem e outros não. Alguns mobilizam os demais estudantes para que possam fazer as devidas melhorias, e outros acabam tentando fazer tudo sozinho, e quebrando a cara. O mesmo é quando se trata de um governo, que diz representar a sociedade; os governantes criaram a própria defesa, assim tornando a sociedade refém dela mesma, aqueles que o Estado coloca dizendo nos proteger se torna a defesa do próprio Estado.

    Assim funciona a escola pública, ela se encontra nas mãos do Estado, e ele também subordina os professores, os funcionários, para que eles fiquem refém de um salário, muitas das vezes o impedindo de fazer um protesto por melhorias salariais e na estrutura da escola, porque a primeira coisa que fazem é cortar o salário dos professores. O grêmio estudantil se torna importante, porque o aluno passa a aprender o que é a política, e como funciona uma gestão escolar.

   E o que acaba com o grêmio, é que muitas das vezes todos jogam tudo em cima do líder, e o líder  muitas das vezes se deixa levar, e não cria outros líderes, outras cabeças pensantes, que lutem pela melhoria escolar. E esse também é o papel do professor, de criar cabeças pensantes, só que a nossa instrução pública é subordinada ao governo. E muitos querem até abolir as aulas de sociologia e filosofia nos ensinamentos escolares, porque eles não querem que uma sociedade pense, que uma sociedade seja  instrigada a fazer, e ir contra ao sistema que vive.

images