A luta contra a corrupção

A luta contra a corrupção no sistema capitalista, diante a uma sociedade que já é subordinada ao sistema que vive. Hoje em dia o dinheiro vem sendo tudo, na vida das pessoas, para muitos o dinheiro foi feito para comprar o mundo, e assim funciona o sistema capitalista, através do consumo. 


   A luta contra a corrupção no sistema capitalista, diante a uma sociedade que já é subordinada ao sistema que vive. Hoje em dia o dinheiro vem sendo tudo, na vida das pessoas, para muitos o dinheiro foi feito para comprar o mundo, e assim funciona o sistema capitalista, através do consumo.

   Somos subordinados e “subordinadores”, sustentamos a nossa própria subordinação, e nisso também subordinamos, trabalhamos, pagamos o nosso imposto, e não trabalhando continuamos pagando imposto, nem que seja na compra de um alfinete. Trabalhamos e bebemos cerveja, compramos roupas, cosméticos, produto de limpeza, e coisas necessárias e desnecessárias, movimentamos o sistema capitalista, se não compramos o dinheiro não circula.

   A vida se tornou uma espécie de comércio, somos corrompidos ao dinheiro, somos subordinados ao dinheiro. Em vários cantos encontramos uma igreja ou um bar, na igreja pagamos o dízimo e no bar pagamos a cerveja e tudo aquilo que a gente quer consumir. Pagamos para alimentar a nossa própria fé, e muitas das vezes acreditamos cegamente no dinheiro.

   O dinheiro não resolve os problemas da sociedade, milhões são doados para algumas instituições, para projetos… milhões são desviados também, a minha soma vai para milhões, quando na verdade se trata de bilhões, zilhões… Tudo é construído pelas pessoas, e o dinheiro é uma espécie de gratificação, em que cada um recebe de acordo a sua função e “mérito”, diante a justiça também há a injustiça, no sistema capitalista.

   Tem que existir pobres e ricos, para o equilíbrio do próprio sistema, da mesma forma que tem de existir o patrão e o empregado, e quem queira controlar ambos.

images.jpeg

 

Não Vote em Bolsonaro

  Se você quer um país melhor não vote no Bolsonaro, você tem todo o motivo do mundo para não votar no Bolsonaro, e o principal motivo se encontra na própria fala do Bolsonaro. A sociedade em si vem recebendo o alerta, para que não votem no Bolsonaro, cabe agora a sociedade atender os alertas.


  Se você quer um país melhor não vote no Bolsonaro, você tem todo o motivo do mundo para não votar no Bolsonaro, e o principal motivo se encontra na própria fala do Bolsonaro. A sociedade em si vem recebendo o alerta, para que não votem no Bolsonaro, cabe agora a sociedade atender os alertas.
   Até o jornal New York Time, vem trazendo notas para que a sociedade brasileira tenha cuidado com a decisão que vai tomar, no dia 28. Vote em quem tem boas propostas para a sociedade, vote em quem tem transparência para com a sociedade. Não se deixe levar pelos discursos de ódio, que lutemos pelos nossos direitos, a sociedade tem de lutar pelos direitos, e lutar pelos direitos é ir contra a qualquer tipo de opressão, é ir contra os males implantado pelo sistema.
   Queremos debate nesse segundo turno, a sociedade tem de cobrar o debate, para que seja colocado em claro, algumas questões, e Bolsonaro está correndo do debate, porque ele vem escondendo muito da sociedade, e o Haddad vai colocar muita coisa em evidência.
   Que o STF investigue o mais rápido possível o esquema de divulgação de fake news, promovida por empresários, notícias falsas qus ajudou para que o Bolsonaro chegue ao segundo turno, e que as devidas medidas sejam tomadas, antes que o pior aconteça.
   O que a sociedade tem de saber é que não se faz um impeachment da noite para o dia, e que daqui que seja feito um impeachment já fizeram um grande estrago, a gente viu a merda que o governo do Michel Temer fez, em poucos anos que assumiu a presidência, no lugar da ex-presidente Dilma Rousseff. O governo do Bolsonaro, não vai se distanciar do governo do Michel Temer, e também não vai se distanciar do governo de Donald Trump.
images.jpeg

Um Centro Criado Pelo Estado

Para matar o anarquista, mostram na política brasileira, um centro capitalista, porque para o Estado, somente importa quem o sustenta.


    Para matar o anarquista, mostram na política brasileira, um centro capitalista, porque para o Estado, somente importa quem o sustenta.

   Ir contra o Estado é ir contra o sistema capitalista, até porque o Estado em si é capitalista, por natureza, somos escravos do sistema capitalista. Diante ao centro que nos apresentam, apenas nos querem enganar, diante a direita e a esquerda.

    Mesmo sabendo que venha a existir vários tipos de “anarquismos”, todos tem uma finalidade, de ir contra o governo, e luta por uma sociedade sem governo, onde o anarquista quer uma sociedade pela sociedade, enquanto isso não existir será uma utopia. Hoje sobrevivemos diante a um sistema capitalista, e por nossa vez somos escravos do sistema capitalista, para tudo o que hoje fazemos necessitamos do capital, é algo que sabemos.

   Marginalizam o anarquismo, da mesma forma que marginalizam qualquer tipo de movimento que venha a ser contra o sistema, e quem vai contra o sistema vai contra o governo e o Estado em si.

   O Estado por vez dele, joga um contra o outro, não matamos os “ismos”, temos a ciência de que, quando existir uma sociedade pela sociedade, o anarquismo será uma palavra desnecessária na sociedade, porque ela vai se transformar em ação.

    Enquanto isso a ação direta, ensinamento mútuo, autogestão, são palavras que necessitam serem estudas, o mesmo é o anarquismo em si. O Estado e a mídia marginaliza o anarquista, e mata o anarquismo, e a sociedade por vez dela não gosta do governo, a sociedade é anarquista, porque ela também luta contra o sistema.

   E tudo é visto como apenas uma utopia, diante a uma democracia que nunca existiu em nossa sociedade, onde encontramos a presença, do governo & cia.

download.jpeg

Não existe voto certo


Muitas das vezes a gente dar a oportunidade a outra pessoa, para que ela faça pela gente o que a gente pode fazer. Votar é depositar a confiança no outro, de que ele fará algo por “nós”, depositar a confiança no outro é correr o risco de se decepcionar.

Não existe voto certo, até porque votamos em quem acreditamos que vai fazer algo por “nós”; a nossa escolha é dividida, cada um acredita em alguém, vence a maioria, logo a maioria torceu e acreditou que votou certo. A gente vota pelo o que nos propõem, e pelo o que acreditamos que fazem por “nós”.

Somos  tapiados em todas as formas, o pouco que fazem, muito tiram da gente. Pagamos imposto, e acreditamos que se ele faz, é porque, tiveram a sensibilidade de fazer, quando na verdade, não deixa de ser uma obrigação deles.

Quem sustenta o plenário é o povo, o povo que sustenta o plenário através do trabalho e o pagamento do imposto. Marginalizam aqueles  que não pagam o imposto, mas não marginalizam aqueles que sobrevivem através dos que pagam imposto, assim muitas das vezes desviando dinheiro do cofre público.

Se nos enganam, nos enganam pelo fato de ainda depositarmos confiança no sistema, por ainda alimentarmos o capitalimos, por mantermos de pé o Estado. E o voto é apenas mais uma ilusão, que tem se tornado em um direito nosso, para que acreditemos que um dia colocaremos uma pessoa certa na presidência.

Para que acreditemos que ainda vamos encontrar um vereador, senador, deputado, governador – “certo”. Para que acreditemos que vamos encontrar alguém que trabalhe pela gente, quanto cruzamos os braços e assim nos conformando com o que nos oferecem.

Fulano Quer se Apaixonar


Fulano se apaixonou por uma garota
Que nunca foi da sua época,
O seu país a cada dia que passa
Parece que regressa.
Fulano pede o fim da corrupção,
E no poder quer colocar tiranos,
Fulano se acha soberano.
Fulano nunca sentiu nas costas
O cacetete, não sabe sequer o que é
Spray de pimenta nos olhos,
Sequer sabe o que é ser recebido
Com balas de borracha,
Fulano quer mudar a história,
Sem saber que a cada dia que passa,
Tudo o que ele visa ser bom…
Ah, fulano, e você que conhece toda
A história?
Fulano venda os olhos, dizendo que acordou,
Fulano, agora tem um amor
De uma outra época,
Todos os dias o seu país regressa.
Fulano se acha foda, para ele somente
Vale as suas ideias, que não venha
Discordar de fulano, porque
Todos que vai contra fulano
Não presta, logo é facista, comunista, e ele manda ir
Para Cuba ou Venezuela.
Fulano quer que todos tenham arma,
É o direito do cidadão,
Fulano não quer saber de gays,
De negros, quer pregar o valor
Entre a família,
Fulano pede a censura,
E quer conhecer a sua amada,
Fulano se acha o cara.
Fulano pede a censura, fulano pede
A sua amada, fulano nunca viu
O orifício piscar,
Sequer sabe o que é apanhar para obedecer,
Sequer sabe o que é opressão,
Fulano nunca viu livros
Sendo queimado na praça,
Para fulano um poeta é um verdadeiro nada,
Poesia não tem valor,
Fulano quer ver a realidade.
Fulano quer conhecer a sua nova amada,
Fulano nunca viu gente desaparecer:
Escritores, poetas, cantores, diversos artistas, jornalistas desaparecendo. Fulano
Nunca viu gente da sua familia desaparecer,
Nunca viu gente sendo executada
Em locais público.
Fulano quer partir com a sua amada?

images.jpeg

%d blogueiros gostam disto: