Política brasileira

Parafraseando Carlos Drummond de Andrade
A sociedade
Quer saber quem corrompe mais
Se é a direita ou a esquerda.

Enquanto isso o Bolsonaro
Tira ouro do nariz.


Parafraseando Carlos Drummond de Andrade

A sociedade
Quer saber quem corrompe mais
Se é a direita ou a esquerda.

Enquanto isso o Bolsonaro
Tira ouro do nariz.

Enquanto isso…

Diante a desvalorização do trabalhador brasileiro, não é tão difícil entender o significado de “salários mínimo”, continuamos vivendo num país que faz o máximo para que a sociedade trabalhe, trabalhe e trabalhe e não goze de seus direitos, quanto cidadão/cidadã.


Diante a desvalorização do trabalhador brasileiro, não é tão difícil entender o significado de “salários mínimo”, continuamos vivendo num país que faz o máximo para que a sociedade trabalhe, trabalhe e trabalhe e não goze de seus direitos, quanto cidadão/cidadã. O salário mínimo, por sua vez é o mínimo do mínimo, há quem abuse do suor do trabalhador, que por sua vez se torna escravo do trabalho para suprir as suas necessidades.

A charge de Thiago Lucas, para o Jornal do Commercio me chamou a atenção, pois, para aumentar o fundo eleitoral os senhores políticos fazem isso com uma grande maestria, mas para aumentar o salário do trabalhador brasileiro eles colocam a maior dificuldade. E se falar em auxílio emergência, diante a uma pandemia, o presidente diz que o nosso país está quebrado. O governo Bolsonaro, vem mostrando que o pobre não tem vez, governo esse que não era a favor do aumento do fundo eleitoral, ajudou para que o aprovassem, pois a mamata continua.

Mas, não basta o trabalhador ser enganado por certos empresários e serem desvalorizados, ainda tem por sua vez de suportar senhores que metem a mão nos cofres públicos fazendo uso das leis, que por sua vez torna um ato criminoso em algo justo e para muitos necessário, nos enganam em tudo que é forma, vivemos todos os santos dias nessa maquiagem.

A sociedade sofre com o salário mínimo, com o aumento da alimentação, com o aumento do gás, com o aumento do imposto. A desigualdade social cresce cada vez mais, enquanto isso o dono da Riachuelo tem medo de que seja taxado a grande fortuna dos ricos. Há quem se sustente da desgraça social, há quem lucre com a desgraça e a miséria social.

Ainda vivemos num país desumano e necessitando de mais humanidade.

Charge de Thiago Lucas, para o Jornal do Commercio.

Lutemos

Conscientizar a sociedade através da arte e da cultura também é o papel do artista que por sua vez sofre com o sistema que vive, sistema esse que faz o máximo para destruir a arte e a cultura através da falta de investimento. A sociedade sem arte e cultura é um verdadeiro nada, é uma sociedade sem história, sem vida, sem cor, até porque é a arte que sobrevive a esperança da sociedade e a ressuscita do caos e transtorno de cada dia.

O governo opressor visa bater e muitas das vezes destruir tudo que venha a ir de desencontro a ele, não é atoa que o atual presidente está criando medidas para coibir que as pessoas venham a fazer críticas a ele, é claro que uma das maiores vítimas de todo esse sistema é o artista, que por sua vez não é condenado apenas pelo sistema, quanto por parte de uma sociedade que o desvaloriza.

Não há agressão social maior, que o governo Bolsonaro, a arte e a cultura por sua vez também busca sobreviver a esse governo tirano e perverso, que pouco se importa com a arte e a cultura, falando nisso quem não se preocupa com a arte e a cultura também não se preocupa com a educação do próprio país. Ganhamos um governo que não reconhece o Paulo Freire uma das peças fundamentais para a educação brasileira.

Esse governo quer matar ideias, quer matar a arte de pensar, quer matar tudo que venha a desperta a sociedade, quanto a isso não temos dúvida alguma começando pela escolha do ministro da educação, temos um governo conservador e contraditório que por sua vez contradiz os seus próprios ideais, que é o bem da família, Deus a cima de tudo e o amor a pátria.

Somos vítimas desse sistema, querem censurar o teatro, querem desvalorizar os artistas e acabar com a Lei Rouanet (isso é se já não acabou), o artista come o pão que o diabo amassou no governo Bolsonaro, principalmente os artistas de rua, os artistas independentes que já sofriam antes e hoje em dia por sua vez estão sofrendo mais ainda com a falta de compromisso desse governo.


Conscientizar a sociedade através da arte e da cultura também é o papel do artista que por sua vez sofre com o sistema que vive, sistema esse que faz o máximo para destruir a arte e a cultura através da falta de investimento. A sociedade sem arte e cultura é um verdadeiro nada, é uma sociedade sem história, sem vida, sem cor, até porque é a arte que sobrevive a esperança da sociedade e a ressuscita do caos e transtorno de cada dia.


O governo opressor visa bater e muitas das vezes destruir tudo que venha a ir de desencontro a ele, não é atoa que o atual presidente está criando medidas para coibir que as pessoas venham a fazer críticas a ele, é claro que uma das maiores vítimas de todo esse sistema é o artista, que por sua vez não é condenado apenas pelo sistema, quanto por parte de uma sociedade que o desvaloriza.


Não há agressão social maior, que o governo Bolsonaro, a arte e a cultura por sua vez também busca sobreviver a esse governo tirano e perverso, que pouco se importa com a arte e a cultura, falando nisso quem não se preocupa com a arte e a cultura também não se preocupa com a educação do próprio país. Ganhamos um governo que não reconhece o Paulo Freire uma das peças fundamentais para a educação brasileira. 


Esse governo quer matar ideias, quer matar a arte de pensar, quer matar tudo que venha a desperta a sociedade, quanto a isso não temos dúvida alguma começando pela escolha do ministro da educação, temos um governo conservador e contraditório que por sua vez contradiz os seus próprios ideais, que é o bem da família, Deus a cima de tudo e o amor a pátria. 


Somos vítimas desse sistema, querem censurar o teatro, querem desvalorizar os artistas e acabar com a Lei Rouanet (isso é se já não acabou), o artista come o pão que o diabo amassou no governo Bolsonaro, principalmente os artistas de rua, os artistas independentes que já sofriam antes e hoje em dia por sua vez estão sofrendo mais ainda com a falta de compromisso desse governo.

Valter Bitencourt Júnior, anarquista, blogueiro poeta e escritor brasileiro.

Um dia o povo será pelo povo

Um país em crise
Pessoas sendo
Desempregadas,
Alimentos em valor
Elevado.
No meio da miséria
Instalaram
As olimpíadas,
Para a felicidade
Dos que nada tem,
Para enganar
A sociedade.
A corrupção todos,
Todos sabem,
Mas, continuam
Acreditando no governo.
Nos jornais da para vê
A violência, o Brasil
Sangra, o mundo sangra,
Desvalorização a instituição
Pública,
Eles não ligam pra gente
A sociedade sente na pele
A miséria, a desgraça,
A dor, a sociedade sente
E cala, nada fala.
Este é o meu país,
Este é o mundo.
E tudo avança,
Querem que trabalhemos
Até morrer, temos
De produzir, produzir,
Produzir até a morte,
Temos de trabalhar
Para o estado,
Temos de pagar imposto,
Temos de sustentar o governo,
Temos de sentir na pele
A opressão e nada
Podemos falar.
A polícia cala a nossa boca,
Recebendo as ordens do estado,
As redes de televisão,
A rádio, por sua vez
Aliena o povo, o povo
Por sua vez se conforma.
O povo pode dá a voz,
Principalmente os que sabem
Que não tem nada a perder.
Um dia o povo vai vencer
E o povo será pelo povo.


Um país em crise
Pessoas sendo
Desempregadas,
Alimentos em valor
Elevado.
No meio da miséria
Instalaram
As olimpíadas,
Para a felicidade
Dos que nada tem,
Para enganar
A sociedade.
A corrupção todos,
Todos sabem,
Mas, continuam
Acreditando no governo.
Nos jornais da para vê
A violência, o Brasil
Sangra, o mundo sangra,
Desvalorização a instituição
Pública,
Eles não ligam pra gente
A sociedade sente na pele
A miséria, a desgraça,
A dor, a sociedade sente
E cala, nada fala.
Este é o meu país,
Este é o mundo.
E tudo avança,
Querem que trabalhemos
Até morrer, temos
De produzir, produzir,
Produzir até a morte,
Temos de trabalhar
Para o estado,
Temos de pagar imposto,
Temos de sustentar o governo,
Temos de sentir na pele
A opressão e nada
Podemos falar.
A polícia cala a nossa boca,
Recebendo as ordens do estado,
As redes de televisão,
A rádio, por sua vez
Aliena o povo, o povo
Por sua vez se conforma.
O povo pode dá a voz,
Principalmente os que sabem
Que não tem nada a perder.
Um dia o povo vai vencer
E o povo será pelo povo.

Sina

A tragédia
Também produz dinheiro,
Para quem vive
Na ambição
De tirar proveito.
Tem gente lucrando
Da nossa miséria,
Tem gente lucrando
Da nossa desgraça,
Tem gente
Manipulando a nossa
Mente,
Tem gente zombando
Da gente.
Tem gente
De tudo que é jeito
Que tira proveito
Da nossa crença,
Que brinca
Com a nossa humildade,
Que brinca com a nossa
Lealdade:
– Sociedade vivendo na cegueira.
Tem gente que nos separa
Em oposição.
E sustentamos
Todo o sistema,
Para o nosso próprio
Desespero,
E ser visto
Como bom
Cidadão.


A tragédia
Também produz dinheiro,
Para quem vive
Na ambição
De tirar proveito.
Tem gente lucrando
Da nossa miséria,
Tem gente lucrando
Da nossa desgraça,
Tem gente
Manipulando a nossa
Mente,
Tem gente zombando
Da gente.
Tem gente
De tudo que é jeito
Que tira proveito
Da nossa crença,
Que brinca
Com a nossa humildade,
Que brinca com a nossa
Lealdade:
– Sociedade vivendo na cegueira.
Tem gente que nos separa
Em oposição.
E sustentamos
Todo o sistema,
Para o nosso próprio
Desespero,
E ser visto
Como bom
Cidadão.

%d blogueiros gostam disto: