Vícios


Entra de cabeça e pés
Em um caminho sem saída
Sua vida iguala um forte rubro
Sem paz!
Faz da vida um jogo
Que flutua e desce
Nas águas cristalinas
E se transforma
Em sofrimento singelo
Se perde nos vícios asquerosos
Quando tudo esta pra ser tarde
Você se isola, se entrega
Sequer vislumbra vontade
Se debate com crise
De abstinência, pertinência
Dias depois tudo parece ser bem.
É solto!
Mas o que vem a sua cabeça
Alimenta-se dos seus vícios
Deixando tristes lágrimas
Descendo pelas cachoeiras?

Siga o seu coração


Não quero ficar por baixoE nem ficar por cimaSó quero mostra-lheQue dentre esse seu ser excessivoO excesso não a levará a nadaA não ser ao piorA desgraça não vem só pro pobre,Mas também para o ricoDo seu ser sem amorNão há proveito.Mudarei os meus passosQue fazem tempestades, redemoinhos,Furacões…Para um novo caminhoQue faça o brancoSe transformarContinuar lendo “Siga o seu coração”