Bate Papo: Café Literário Com Xico Sá


Dia 31 de agosto, tem bate papo literário com o escritor Xico Sá, evento gratuito promovido pelo Senac, das 10h às 11:30. Informações publicada na página no Facebook do Senac Tatuapé: Jornais, revistas, livros, programas esportivos, redes sociais… Xico Sá é um dos mais autênticos cronistas brasileiros. Constrói suas crônicas e narrativas através dessa pluralidadeContinuar lendo “Bate Papo: Café Literário Com Xico Sá”

Resumo de meus estudos de literatura, trovadorismo, barroco, arcadismo, romantismo, parnasianismo, naturalismo, realismo, simbolismo, modernismo


Trovadorismo ou Quinhentismo, é o nascimento da literatura, que tem como início no séc. XII. O trovadorismo tem como base a escrita pelos trovadores (poetas, e cantada pelos jograis. O interessante é que os jograis cantavam, mas não faziam poesia, assim como os trovadores faziam poesia, mas não cantavam.

A principal escrita dos trovadores é o galego português as poesias, eram feitas e compiladas em “cancioneiras”, que eram uma espécie de coletânea, as principais “cancioneiras” era, a cancioneira da ajuda, cancioneira da vaticana, dentre outras.

Falando um pouco da literatura brasileira, parte de meus estudos…


Aprendi a amar a literatura, gosto da literatura brasileira e a sua história, do quinhentismo ao contemporâneo. Admiro a história da literatura brasileira assim como o surgimento e origem do povo brasileiro, apesar de todo o confronto que teve devido a escravização e a injustiça social que vivemos pelos colonizadores, que tinha por interesse de tornar o Brasil coroa parte da coroa de Portugal, da descoberta do povo brasileiro em 1500 para o surgimento dos povos brasileiros e suas formações em 1530.

Discurso – “Valter Bitencourt Júnior, consagrando-se membro da Academia de Letras de Teófilo Otoni”


Eu, Valter Bitencourt Júnior, só tenho a agradecer, por poder fazer parte da Academia Teófilo Otoni, pois juventude aprenda a explorar o melhor que se é oferecido, para a vida, e desfrute na melhor forma possível, brigue pelos os direitos, e sempre busque, o jovem por sua vez tem que aprender a ser protagonista. Cada ser tem um destino, e o meu destino são as palavras, assim como o meu trabalho, no qual busco a desenvolver, na melhor forma possível, para que no meu futuro fique a minha história, e que a minha história de vida não seja uma história qualquer, que também tenha os seus segredos, e mistérios.

Poesia Reunida, de Antonio Brasileiro


Poesia Reunida, reúne obras e poesias de Antonio Brasileiro em um único livro, revisado pelo próprio autor, na orelha do livro tem as palavras da Myriam Fraga, com a apresentação de André Seffrin, a capa do livro trata-se de uma imagem de uma das obras de Antonio Brasileirofeita a oléo, o livro tem 264 páginas, com apoio da Secretaria da Cultura e Turismo, Fundação Cultural do estado, Empresa Gráfica da Bahia, livro do ano de 2015.

Verônica – Diretor Maurício Farias


O Filme Verônica, dirigido por Maurício Farias, mostra a história de uma professora, com o nome Verônica que teve de fugir com um dos seus alunos devido a morte do pai e da mãe deste aluno, pelos traficantes de droga, o pai de Leandro (o nome do aluno), deixou com ele um pendrive, considerado uma bomba, que entregaria um esquema de corrupção entre a polícia e os traficantes, gravado pelo pai de Leandro.

Literatura o Mundo do Perigo


Todo canto tem pessoas que agem de má fé, e no “mundo da literatura” é pior ainda, todo cuidado é pouco, principalmente quando se trata de site, de contrato, onde tem de fazer uso de CPF, RG, etc. Ultimamente venho recebendo muito convites, somente não recebo convite para ganhar uma boa grana, mas para na verdade gastar dinheiro, “literatura” é gasto, e “investimento”, para ser bem sucedido, tem de “investir”, e este também é um dos grandes problemas, pois tem quem invista e também fique endividado, e tem quem meta as mãos pelas pernas.

O Livro de Mórmon Outro Testamento de Jesus Cristo


O livro Mórmon é comparável a bíblia, trata-se de um registo de comunicação de Deus com os habitantes da América, o livro foi escrito por muitos profetas antigos, pelo espírito de profecia e revelação, cada palavra foi escrita em placas de ouro, foram citadas e resumidas pelo profeta-historiador Mórmon. O registro contém o relato de duas grande civilizações, uma veio de Jerusalém no ano de 600 a.C. e posteriormente se dividiu em duas nações, conhecidas como nefitas e lamanitas. A outra veio muito antes, quando o Senhor confundiu as línguas na Torre de Babel. Esse povo é conhecido como jareditas.Milhares de anos atrás, foram destruídos, exceto os lamanitas, que são os principais antepassados dos índios americanos. Depois de terminar os seus escritor Mórmon entregou o livro para o filho Moroni, que acrescentou algumas palavras suas e ocultou as placas o Monte Cumora. A 21 de Setembro de 1823, o mesmo Moroni então um ser ressurreto e glorificado, apareceu ao profeta Joseph Smith e instruiu-o a respeito e registro da tradução que seria feita para o inglês. No devido tempo a placa foi entregue a Joseph Smith, que a traduziu pelo dom e poder de Deus, e o livro tem 11 testemunhas, trata-se do “Depoimento de Três Testemunhas” e o “Depoimento de Oito Testemunhas”:

Travessia de Oásis: A Sensualidade na Poesia de Sosígenes Costa, por Florisvaldo Mattos


O Livro Travessia de Oásis: A Sensualidade na Poesia de Sosígenes Costa, por Florisvaldo Mattos trás beleza e encanto resgatada e redigita por mais que um admirador, um leitor, um amigo, é o que o Florisvaldo Mattos (Uruçuca-BA 1932) mostra em cada palavra que ele escreve sobre cada soneto de Sosígenes Costa (Belmonte-BA 1901 – Rio de Janeiro 1968), e sobre a primeira vez que ele tem visto o Sosígenes Costa. Na orelha do livro encontra-se palavras do James Amado, desenho de capa e contra-capa feito por Itamar espinheira, foto de capa feita por Gildo Lima, digitação e revisão de Vera Pessoa, normatização bibliográfica feita por Maisa Menezes de Andrade, projeto gráfico, tratamento de imagem, montagem de capa e editoração eletrônica, de Guido Guerra, pela Secretaria da Cultura e Turismo da Bahia, livro do ano de 2004, contém 163 páginas.