Lendo e relendo

Nada melhor que a leitura para compreender a história, o desenvolvimento de uma ou mais cidade, seus meios de produção, a religião, ensino… Me deparando novamente com o livro “Gabriela, Cravo e Canela”, autoria de Jorge Amado.


Nada melhor que a leitura para compreender a história, o desenvolvimento de uma ou mais cidade, seus meios de produção, a religião, ensino… Me deparando novamente com o livro “Gabriela, Cravo e Canela”, autoria de Jorge Amado.

“Gabriela, Cravo e Canela”, de Jorge Amado.
Valter Bitencourt Júnior, com o livro “Gabriela, Cravo e Canela”, autoria de Jorge Amado.

Querida cidade

O livro “Querida cidade”, do acadêmico da Academia Brasileira de Letras (ABL), Antônio Torres, está em pré-venda na Amazon.


O livro “Querida cidade”, do acadêmico da Academia Brasileira de Letras (ABL), Antônio Torres, está em pré-venda na Amazon: “Após quinze anos sem escrever um romance, o imortal da Academia Brasileira de Letras Antônio Torres retorna ao gênero com Querida cidade. Há escritores para quem o passado, o presente e o futuro não existem em separado, são uma coisa só. Essa fusão dos tempos faz com que seus personagens experimentem, simultaneamente, a vida que já viveram, responsável por eles serem como são, e a vida que ainda irão viver, pois a todo instante quem são hoje influencia, ou até determina, quem serão amanhã. Antônio Torres é um desses escritores.Querida cidade acompanha a história de um protagonista que, assim como outros personagens do livro, deixou a pequena cidade onde nasceu – para tentar uma vida melhor, para estudar ou mesmo para fugir de algo. Ao conversar com a mãe sobre o pai, que sumiu sem deixar vestígios muitos anos antes, o filho rememora a sua própria trajetória de êxodo, independência, fracasso e eventual retorno às origens.Por meio de lembranças, projeções e referências culturais de um Brasil profundo, a narrativa costura o onírico e o cotidiano, amor e melancolia, desalento e aceitação. Triunfo de um grande autor em sua melhor forma. “Leiam Antônio Torres. É muito bom este senhor aí”- Jorge Amado“Nascido na Bahia, e marcado indelevelmente pelo sertão, Antônio Torres escreve a fascinação das cidades-labirintos.” – Le Nouvel Observateur“Torres herdou as técnicas narrativas dos modernistas europeus, norte-americanos e latino-americanos juntamente com as grandes tradições orais do Brasil.” – Los Angeles Times“Sua literatura tem uma força poética que trata o sórdido e o triste como partes de uma engrenagem criativa indisposta a falsificar a realidade ou a transgredir com os subterfúgios o que a história quer silenciar.” – Nélida Piñon

Querida cidade, de Antônio Torres., pré-venda na Amazon.

Antônio Torres, nasceu no Junco, lugar hoje conhecido como Sátiro Dia, em 13 de setembro de 1940. Estreou na literatura em 1972 com o livro Um cão uivando para a lua.

Trabalhou no Jornal da Bahia como repórter e em 1961 foi transferido para São Paulo, passando a trabalhar no diário Última Hora. Em São Paulo, Antônio Torres, trocou o jornalismo pela publicidade.

Ocupa a cadeira n° 9 da Academia Brasileira de Letras, tendo como patrono o João Ubaldo Ribeiro.

Querida cidade, de Antônio Torres.

11 poemas

11 poemas – Valter Bitencourt Júnior


Tempo passa!

Tempo! Passa tempo,
Anda tempo,
Voa tempo,
Muda o tempo!…
Saudades tenho.⁠

⁠O amor

Acabou!
E tudo, tudo
Se desfaz
Em gotículas
Angustiadas!

Musicalidade

Vem distante
Não sei de onde,
É suave,
Não sei como
Esta caminhando
Pelos ares…
É uma música
Que vem
Da primavera.

⁠Foi amor

Não sei como
Mas tudo rolou,
Me entreguei a você
Da cabeça aos pés.
Tudo foi chamas
Que hoje se apagaram,
E só me restam
Lembranças.

Fragrante

Assim como o aroma
Você me transforma!
Mirando o universo
Deixa-me no ar
A cada vento
De todos os momentos,
Não me esqueço
De você inadmissível
Fragrância
Vinda de todas
As partes do universo!

⁠Amor inefável

É inefável
A tua clemência!
O teu martírio, inexorável…
É mister
Saber cuidar-se.
Nem sempre
Se encontra uma mão,
Cuidado!
O seu coração
Que tanto
Sofre
Ficará lasso
Constantemente.

Viver

É gostoso
Você saber
Amar a vida
É como você
Se banhar
Em um mar
De pétalas
De lírios
E sentir
O cheiro
Do lis
Vagarosamente.
É belo
Saber viver
O dia
Não deixando
Que ele escureça.

Não deixando de sentir…

⁠Uma rosa

Miro em minha frente
Uma rosa falsa,
Talvez uma rosa,
Feita por uma mão
Delicada!
Miro uma rosa
Sem espinhos,
Uma rosa completamente
Rosa.

Flores

Tu olhas pros céus
Estando nas nuvens?
O amor floresce.

Rosa

Nascem botões
Brotam
Fascinam,
Encantam
Reconciliáveis
Quando tudo
Está ao avesso.

⁠E você canta

Belas cortinas
Estampadas no seu sorrir,
Disfarce do seu dia,
Ilusão da sua noite.
O silêncio fala
E você canta!

Bolhas de sabão

Voava em distância
Como se fosse
Andar na poesia,
Gritava em eco
Como quimera
E fantasia.
Sonhava como
Criança dançando
De alegria,
Chutando as
Ondas do mar.


Voava em distância
Como se fosse
Andar na poesia,
Gritava em eco
Como quimera
E fantasia.
Sonhava como
Criança dançando
De alegria,
Chutando as
Ondas do mar.

%d blogueiros gostam disto: