Lembrança

Sensível esta a sua visão
Ao seu amanhecer,
O sol penetra por sobre
Os seus olhos, tentando
Mostrar a luz do dia…
Sentia um pesadelo…
Sentia um pesadelo,
Na escuridão da noite,
Mas amanheceu…
O sol tênue com a luz
Entra em seu coração!
A luz do sol tênue
Entro por entre
Os escombros da janela,
Mas em você
Ainda resta um vazio…


Sensível esta a sua visão
Ao seu amanhecer,
O sol penetra por sobre
Os seus olhos, tentando
Mostrar a luz do dia…
Sentia um pesadelo…
Sentia um pesadelo,
Na escuridão da noite,
Mas amanheceu…
O sol tênue com a luz
Entra em seu coração!
A luz do sol tênue
Entro por entre
Os escombros da janela,
Mas em você
Ainda resta um vazio…

Se tudo for um contraste

Cristais,
Brilho do dia
Luz da vida
Diamante.
Luz da noite
De todos os amores.
Alexandrita
Se torna tragédia,
Cedo mais tarde,
Vira esperança.
Volto à terra
Os seres são tesouros
Cheios de brilho,
Mas distantes
Sem valor.


Cristais,
Brilho do dia
Luz da vida
Diamante.
Luz da noite
De todos os amores.
Alexandrita
Se torna tragédia,
Cedo mais tarde,
Vira esperança.
Volto à terra
Os seres são tesouros
Cheios de brilho,
Mas distantes
Sem valor.

As luzes da cidade não permite ver as estrelas

O poeta e  o escritor busca a inspiração pela noite, e as luzes das cidades não permite visualizar as estrelas. O poeta e o escritor não são mais os mesmos, a realidade do dia-a-dia, não se distancia dos dias passados.


    O poeta e  o escritor busca a inspiração pela noite, e as luzes das cidades não permite visualizar as estrelas. O poeta e o escritor não são mais os mesmos, a realidade do dia-a-dia, não se distancia dos dias passados.

    O mundo sempre foi necessitado de quem o namore, o mesmo a natureza, todo o nosso habitat, explorado pela espécie humana, pelas espécies em si. O ser faz de conta que não tem tempo para enxergar a beleza, e tudo vai escondendo a beleza, tanto das estrelas, quanto no ambiente… A natureza busca sobreviver a ambição humana.

  Poluição, desmatamento, contaminação do ar, contaminação da água e do solo. A noite mostra o céu escuro, as estrelas somem diante a clareza da cidade iluminada pela luz dos postes. O tempo mudou, e não se distancia do passado, a natureza sempre busca sobreviver as mudanças, feitas pelas espécieas e por ela mesma.

   As pessoas não namoram as estrelas, não se inspira no  ambiente que vive, as pessoas estão diante ao prédio, e as árvores vão ganhando um novo aspecto, casas tomam o lugar das  árvores, as empresas tomam posse da cidade, contamina, mata e explora não só o ambiente, quanto toda a população por sua volta.

   Não vemos a beleza que passa em instante e vai embora, as estrelas cadentes não levam pedidos, e desejos de realizações.

%d blogueiros gostam disto: