Diga Não ao Abuso de Poder!

Policial algum tem o direito de fazer justiça com as próprias mãos, não se combate a violência através de violência, cabe ao Estado trabalhar com meios de conscientização, cabe também a polícia saber agir devidamente.


Muitas pessoas rindo da situação de um rapaz algemado na garupa de uma mota e sendo conduzido de forma desumana por um militar, até a delegacia. Quem rir de uma situação como essa pode ser a próxima vítima, não precisa ser marginal, basta ser morador de um bairro periférico, pobre, negro. Quanto ser humano, temos de sermos contra o autoritarismo e o abuso de poder das autoridades, temos que sermos contra a quaisquer tipo de tortura.

Policial algum tem o direito de fazer justiça com as próprias mãos, não se combate a violência através de violência, cabe ao Estado trabalhar com meios de conscientização, cabe também a polícia saber agir devidamente. Vivemos numa sociedade marginalizada pelo Estado e por parte dela mesma, pois bem, a exclusão social contribui para o aumento da violência, a falta de geração de emprego e os devidos investimentos na educação, na cultura, na arte, nos projetos sociais também contribui para o aumento da violência.

Algumas pessoas responderam a um dos meus comentários, que o rapaz foi preso de tal forma, devido ser “traficante”, devido ter “roubado”, muitos colocaram justificativas para a má ação do militar, como se tal ação fosse plausível ou quem sabe digna de um troféu. Alguns falaram que pessoas que andam “direitas”, não passam por isso, que ele não deveria ter corrido, que “quem não deve não teme”, há quem chegou a comentar, que nunca viu uma pessoa “direita passar por isso” ou que “não passa por isso”. Passa sim, Cadê Amarildo? Todos os dias vemos notícias de pessoas sendo presas injustamente, todos os dias vemos casos de abuso de poder, todos os dias vemos casos de pessoas sendo descriminadas devido ao corte de cabelo, devido a forma de se vestir, a cor, por questão econômica… Nada disso é mimimi e muito menos vitimismo.

Quem lembra de 80 tiros disparados no carro de um músico negro? Quem disparou? Foi o exército brasileiro! Quem lembra de uma pessoa que morreu segurando um guarda-chuva, alegaram que pensou que ele estava armado, também teve outro caso de uma pessoa que morreu segurando uma furadeira. Imaginar uma pessoa sendo presa, por esta com materiais de limpeza numa manifestação, e algumas pessoas acreditar que é normal, os mesmos que dizem que quem passa por tal situação são bandidos… Quem será a próxima vítima? Pode ser você ou quem sabe eu.

Vi num certo dia uma postagem, escrita, para as pessoas terem cuidado ao sair na rua, pois corre o risco de ser confundida com algum marginal, pelo fato de ser negro, morador de bairro periférico, devido a uma tatuagem, devido a roupa que veste. O preconceito ainda existe no nosso país, quanto a isso não temos duvida alguma.

Imagem da internet.

Estamos indo de mal a pior…

 A sociedade vive apanhando, nem sempre tem para onde correr, muitas das vezes parte da sociedade tem que se submeter ao patrão para se manter no emprego, mesmo que trabalhe em situação precária, trabalha para poder comprar o pão de cada dia, trabalha para pagar a conta de luz, água, fazer a compra do mercado… muitas das vezes sequer sabe o que é diversão, não sabe o que venha a ser o teatro, o cinema, o circo, os pontos turístico da própria cidade.


A sociedade vive apanhando, nem sempre tem para onde correr, muitas das vezes parte da sociedade tem que se submeter ao patrão para se manter no emprego, mesmo que trabalhe em situação precária, trabalha para poder comprar o pão de cada dia, trabalha para pagar a conta de luz, água, fazer a compra do mercado… muitas das vezes sequer sabe o que é diversão, não sabe o que venha a ser o teatro, o cinema, o circo, os pontos turístico da própria cidade. Muitos sequer sabem o que é arte e cultura. Para muitos a diversão se encontra apenas no reunir a família e se alcoolizar, fazer um churrasco e depois colocar a mão na cabeça para pagar a dívida e depois criar uma nova dívida, claro que nem sempre com a família, tem gente que vive desgostoso da vida, mas mesmo assim carrega o lema “vida que segue”, muitos já estão acostumados com o pouco que o sistema oferece, muitos estão acostumados também a perder tudo para o sistema em que vive.

Quanto a aposentadoria? Quem sabe a minha geração futura sequer venha a saber o que significa aposentar! Diante a cada desvio de dinheiro, diante a cada lei criada pelos governantes para dificultar a vida de boa parte da sociedade. Querem tirar o direito daqueles que nada tem, querem que a desigualdade social continue crescendo, nos enganam em tudo que é lado. Quem sabe a música “Ouro de tolo”, cantada por Raul Seixas, vem sendo super atual. Querem que trabalhemos, trabalhemos e trabalhemos até a morte. Não querem que a gente reclame e peça melhorias salariais, boas condições de trabalho (os devidos equipamentos de segurança, vendo-se bem que há trabalhadores que sequer sabe o que é equipamento de segurança, no trabalho), plano de saúde, transporte, quanto ao INSS? Já tem gente morrendo na fila do INSS.

Eu sempre digo que o Brasil é o país que mais emprega, e, que mais ainda desemprega! O desemprego continua batendo na porta do povo brasileiro. Hoje em dia, muitos querem abrir o próprio negócio, poucos tem como se manter, alguns são vendedores ambulante, abre um pequeno comércio, vende cosmético… Trabalhar com a carteira assinada vem se tornando um “grande luxo” em nosso país. E vem as greves, greve até de polícia militar. Hoje, 11 de março de 2020, eu fui no Banco da Caixa, eu encontrei tudo fechado, pois os seguranças estão em greve por tempo indeterminado… E tudo vem mostrando, que tudo vai mudar de mal para pior, nesse governo Bolsonaro, se já estava ruim pior vai ficar, alguns vão dizer que é pessimismo da minha parte, acredito que não, até porque tudo está visível.

Para esse governo tem que ter “menos direito e mais trabalho”, para o ministro da economia a empregada doméstica não tem que ir a Disney… Já fizeram piada até com o décimo terceiro, quem está ligando para o PIB, quanto ao dólar? Já está quase a 5, né? E quem vai tirar esse governo? Até porque, a Dilma tiraram. O Bolsonaro, a turma do Bolsonaro, já deveria ter um impeachment contra ele faz é tempo. Na verdade esse governo nunca deveria ter sido eleito, diante aos discurso de ódio e preconceituoso, fake news, notícia distorcida, caixa 2 promovida pelos senhores empresários e a falta de proposta para as devidas melhorias sociais. Quem sabe a luta deles era para fazer a Reforma da Presidência, apenas isso. Este governo pertence aos empresários, banqueiros e os ricos. Quanto ao pobre? O pobre não tem vez no governo Bolsonaro!

Conclusão de um comentário que eu recebi, referente a 9 jovens, que morreram numa ação militar, no baile funk, em São Paulo


Conclusão de um comentário que eu recebi, referente a 9 jovens, que morreram numa ação militar, no baile funk, em São Paulo

Conclusão de um comentário que eu recebi, referente a 9 jovens, que morreram numa ação militar, no baile funk, em São Paulo: Se você é negro (mesmo que você se considere branco, tem sangue de negro correndo nas veias e é pobre), morador da favela: – não saia de casa, pois você corre o risco de passar pelo lugar errado, na hora errada e acabar sendo assassinado pela polícia (polícia pobre, negra, e até morador da favela, subordinada pelo sistema para obedecer as ordens que vem de cima para baixo). Valter Bitencourt Júnior, KD Frases: https://kdfrases.com/usuario/valterbjunior57/frase/200811

Tem que matar?


Segundo Doria, governador de São Paulo, a partir de janeiro (2020) a polícia vai atirar para matar. É como se a polícia já não estivesse atirando para matar, a quantidade de pessoas assassinadas pela polícia vem aumentando e muito. Pelo o que a gente vem observando, a polícia já vem ensaiando, nesse ano (2019), com relação as mortes de 9 jovens em baile funk de São Paulo, nesse mês de dezembro, uma verdadeira emboscada da polícia contra parte de uma sociedade já marginalizada, que curte um estilo musical (funk) criminalizado por parte da sociedade e pelo sistema em si. Enquanto isso os governos e até mesmo o Ministro da Justiça, Sérgio Moro, vem criando leis como por exemplo o projeto “anticrime”, um projeto de lei criminoso, que visa massacrar os pobres, negros, moradores dos bairros periféricos… querem dá licença para matar!

No governo Bolsonaro, não esperamos mais nada, diante aos discursos de ódio e preconceituoso dele, diante a formação de um novo partido criado por ele, com o nome Aliança Pelo Brasil, inclusive Bolsonaro ganhou até uma placa com o nome Aliança Pelo Brasil, feito com cápsula de arma, quanto ao número do partido? 38. Isso mostra o quanto esse governo é doentio e pouco se importa com o seu povo, prega o armamento da sociedade, sociedade essa vítima deste sistema perverso do próprio Estado, que marginaliza para depois mandar prender ou matar.

O Jornal O Inimigo do Rei, de Maio de 1987: Falando Sobre a Violência Policial na Bahia


O jornal O Inimigo do Rei, de Maio de 1987, falando sobre a violência policial, aqui na Bahia: “Em nenhum outro estado do Brasil há tantos linchamentos e tantos perpetrados por policiais como na Bahia. Para um governo do PMDB, cuja bandeira principal é a “mudança” esta situação deveria ser uma das principais questões administrativas.

Só durante os primeiros 45 dias do governo Waldir Pires, ocorreram oito linchamentos, na capital e interior. A polícia militar, por seu turno, já tem até um sargento envolvido em assalto a banco junto com seus comandantes e um alto oficial envolvido no assassinato das crianças Geovana e Leonardo.” segundo o jornal O Inimigo do Rei.

Eles falam também sobre as torturas: “Já não passa um dia em que não chegam às redações das rádios e dos jornais, queixas de pessoas pobres e negras (os dois ingredientes sao fundamentais num estado onde vigora o “apartheid” oficiosos, pois embora de maioria negra, todas as autoridades e a burguesia são brancas), de que foram espancadas por policiais civis ou militares.

As delegacias da Polícia Civil do Estado da Bahia transformaram-se em centros de torturas e há casos, por exemplo, de torturas e espancamentos de menores, por estarem vendendo picolé em estação de transbordo ou por estar mercando bugigangas em via pública. Como as vítimas são pobres, negras e analfabetas, vão às redações, mas morrem de medo de serem identificadas e sofrerem represália dos policiais.” segundo o jornal O Inimigo do Rei.

Eles falam também sobre a preocupação do governo quanto a isso, e que eles não tomam medidas alguma.

“A tortura nas delegacias continua correndo solta. Os policiais dispõem da vida de ladrões de galinha como se fossem ladrões do Erário. Quem rouba o Brasil em dólares, participando da “cumidilha”, é deputado constituinte, e quem rouba a galinha do vizinho porque está passando fome, é fuzilado pela polícia, ou, no mínimo, torturado. A situação é tão vexatória que na última semana de abril agentes da Policia Civil invadiram uma casa numa favela do Vasco da Gama avisando à mãe de um ez-gatuno (ladrão de relógio) que agora ela só voltaria a vê-lo no cemitério.” segundo o jornal O Inimigo do Rei, eles prosseguem: “E ainda tem gente que lute pela pena de morte no Brasil. Ela já existe – só para preto e pobre – embora os policiais também sejam pretos e pobres, aó que nem consciência de classe raça têm. Só porque recebem uma radiola aqui, um reloginho ali, “um fogo” (revolver) acolá, sentem-se acima de seus irmãos proletários. Às vezes suas casas espelham uma miséria maior do que a do marginal que perseguem com tanta fúria.”

O jornal O Inimigo do Rei também fala sobre o salário “miserável”: “Mas, falar da violência policial na Bahia e não falar dos salários de fome que a PM e a Polícia Civil pagam é ser alienado, é enfiar a cabeca na areia como o avestruz.

Há soldados da PM que não fazem mais que Cz$ 2,6 mil por mês, isto é, menos que um cobrador de ônibus. Há agentes da Policia Civil que não chegam a ganhar Cz$ 3 mil. O que ocorre então? Por razões de sobrevivência, as mesmas invocadas pelos marginais, eles partem para a contravenção, para os pequenos roubos, para as extorsões de putas e viados, para a divisão de roubo com os ladrões. Ou no caso dos mais radicais, como sargento da PM muito doido, formam uma quadrilha e roubam fardados.

Por oferecer salários irrisórios, as policias atraem a escoria da sociedade. Pessoas sem educação formal, que não têm o mínimo respeito por elas próprias nem pelos seus semelhantes e , então, está instaurada a guerra civil nas ruas da Bahia. Pois os dois lados são extremamente parecidos e vivem vidas absolutamente idênticas – a miséria do policial leva-o (com toda razão) ao delito e à violência -, e a miséria do negro pobre e desempregado produz um tipo de cidadão anti-social, violentíssimo, também, em muitos casos.”

Nos dias de hoje, essa notícia do jornal O Inimigo do Rei, publicada em Maio de 1987, continua atual, até porque é o que vem acontecendo em nossa sociedade ainda, aqui na Bahia, recentemente eu vi uma notícia de que um jovem conseguiu provar a inocência depois de um ano, ele ficou preso por 1 ano, e depois de tudo que passou, de todo o constrangimento e opressão, que ele conseguiu provar a inocência e ser absolvido das acusações, que foi de roubo coletivo e tráfico de droga.

Vi também uma notícia de um jovem que se encontra preso sem cometer crime algum, e a família vem lutando pela liberdade dele. O abuso de poder continua, homem é barrado de entrar no metrô, acusado de tentar passar sem pagar, em seguida aparece vários policiais e o agride tanto de forma verbal quanto de forma física, na Estação do metrô, um vendedor ambulante teve as mercadorias apreendidas e foi agredido pelos militares, isso foi recente!

Valter Bitencourt Júnior, 06 de agosto de 2019.

%d blogueiros gostam disto: