Aguardente – Poema à Donald Trump

Todos os dias nasce um canalha na política
Para o desespero da sociedade…
A cada dia criam leis, fazem a guerra,
Matam quem não tem culpa, enganam,
Alienam o povo.


Todos os dias nasce um canalha na política
Para o desespero da sociedade…
A cada dia criam leis, fazem a guerra,
Matam quem não tem culpa, enganam,
Alienam o povo. Ainda nasce Aldolf Hitler
Na Sociedade, um governo corrupto nasce
Todos os dias, o fascismo se esconde por trás
Das propostas e de cada propagandas política.
Nasce Benito Mussolini todos os dias, na política,
Em tudo aquilo que dita ordem à sociedade,
E que no fim assassina milhares,
Fazem uso das palavras friamente,
E há quem acredite lealmente.
Todos os dias nascem filhos da puta
Para sustentar o sistema capitalista,
Para meter o medo nas pessoas,
Para rir da minha cara, da sua cara,
Da cara de todos. E a culpa da miséria social
É colocada na inflação, em um mundo de consumistas,
Dividido por classes sociais.
E a sociedade paga a própria penitência
Para o sustento do governo – desgoverno.
Todos os duas nasce gente de má índole,
Nasce gente querendo por a mão
Na gente e nos governar,
Todos os dias nasce alguém dizendo ser confiável
Para o massacre da sociedade.
Querem criarem milhares de muros de Berlim,
Querem criarem as cercas elétricas para a separação
Dos países. Todos os dias nasce
Um governo querendo ser um Deus, todos os dias
Nasce um Füher, as grandes milícias
A cada dia a se fortalecer, a guerra do estado e o tráfico,
Minha sociedade marginalizada, todos os dias
Criam campos de concentração, céu aberto,
Gás lacrimogênio a asfixiar, bala de borracha a deixar marcas,
Spray de pimenta a cegar.

É mais que necessário escrever, escrever para que tudo seja registrado, para se libertar, e libertar. Escrever é mais que necessário!

Davos: Bolsonaro Não Se Distância Dos Demais Representantes de Cada País

Acredito que os representantes de cada país, vai fazer o máximo para mostrar o que há de melhor, e esconder quaisquer tipo de problema que corre dentro do próprio país.


Acredito que os representantes de cada país, vai fazer o máximo para mostrar o que há de melhor, e esconder quaisquer tipo de problema que corre dentro do próprio país.

Vender uma boa imagem,  causar uma boa impressão, para atrair investidores, que estejam interessados em investir em ações. Falar de economia, e do que o país precisa numa forma minuciosa.

Bolsonaro por vez deles não vai fazer diferente, ele vai esconder qualquer tipo de assunto que venha a envolver o partido dele (PSL) com a corrupção, não vai falar sobre o filho dele Flávio Bolsonaro e  muito menos sobre o Queiroz, caso venha  a falar vai ser muito ingênuo da parte dele.

Tem de  colocar tudo por debaixo do pano, o mesmo será feito pelos demais representantes dos outros países. Corrupção não ocorre apenas no Brasil, a corrupção faz parte de todo país capitalista.

images.jpeg

 

 

O Estado Não é Democrático, a Mídia Não é Democrática

 E não querem o “novo”, na política brasileira, não há democracia  alguma em nossa sociedade, o Estado não é democrático, a mídia não é democrática.  na democracia também existe suas limitações, se para um empresário é  complicado, imagina para quem nada tem, pessoas de menos condições, que resolvem entrar na política brasileira.


    A política brasileira não foi criada para o “novo”, e sim, para os velhos conhecidos. Até para que seja feito um debate em rede de televisão, o candidato tem de ter uma certa quantidade de deputados em seu partido, na câmara. E esse é o caso do empresário João Amoêdo, e tem muita gente pedindo através das redes sociais,  para que ele também possa debater, na rede de televisão, com os demais candidatos à presidência.

   E não querem o “novo”, na política brasileira, não há democracia  alguma em nossa sociedade, o Estado não é democrático, a mídia não é democrática.  na democracia também existe suas limitações, se para um empresário é  complicado, imagina para quem nada tem, pessoas de menos condições, que resolvem entrar na política brasileira.

   E outra, a política não foi feita para pobres se candidatarem, ela foi feita especialmente para pessoas letradas e de condições financeiras se  candidatarem, tanto que pessoas analfabetas não podem se eleger. Pelo fato de  que Brasília não é um espaço criado para a sociedade pobre, e sim, para uma sociedade rica. Muitos vão questionarem, hoje em dia tem pobres letrados, temos a ciência que tem, mas não tem condições financeiras algumas para se eleger, diante aos que já estão na política, mesmo que receba recursos para fazer campanha eleitoral, o recurso é muito pouco.

   Em tudo hoje existe as suas excessões,  alguns conseguem e outros não, porque esse é o país que se diz “democrático”, tem que destacar um para desmerecer os outros. Sabemos muito bem quem manda no país, pessoas endinheiradas, empresários e políticos, políticos e empresários, vice verso. E a sociedade é jogada uma contra a outra, e fazem com que ela acredite, que para tocar o país para  frente, tem de colocar no poder alguém que tem uma   grande condição financeira.

images (10).jpeg

Não existe voto certo


Muitas das vezes a gente dar a oportunidade a outra pessoa, para que ela faça pela gente o que a gente pode fazer. Votar é depositar a confiança no outro, de que ele fará algo por “nós”, depositar a confiança no outro é correr o risco de se decepcionar.

Não existe voto certo, até porque votamos em quem acreditamos que vai fazer algo por “nós”; a nossa escolha é dividida, cada um acredita em alguém, vence a maioria, logo a maioria torceu e acreditou que votou certo. A gente vota pelo o que nos propõem, e pelo o que acreditamos que fazem por “nós”.

Somos  tapiados em todas as formas, o pouco que fazem, muito tiram da gente. Pagamos imposto, e acreditamos que se ele faz, é porque, tiveram a sensibilidade de fazer, quando na verdade, não deixa de ser uma obrigação deles.

Quem sustenta o plenário é o povo, o povo que sustenta o plenário através do trabalho e o pagamento do imposto. Marginalizam aqueles  que não pagam o imposto, mas não marginalizam aqueles que sobrevivem através dos que pagam imposto, assim muitas das vezes desviando dinheiro do cofre público.

Se nos enganam, nos enganam pelo fato de ainda depositarmos confiança no sistema, por ainda alimentarmos o capitalimos, por mantermos de pé o Estado. E o voto é apenas mais uma ilusão, que tem se tornado em um direito nosso, para que acreditemos que um dia colocaremos uma pessoa certa na presidência.

Para que acreditemos que ainda vamos encontrar um vereador, senador, deputado, governador – “certo”. Para que acreditemos que vamos encontrar alguém que trabalhe pela gente, quanto cruzamos os braços e assim nos conformando com o que nos oferecem.

%d blogueiros gostam disto: