Quando morrer a filosofia

Quando morrer a filosofia, poema de Valter Bitencourt Júnior, à Iraney Gonçalves Garcia


À Iraney Gonçalves Garcia

Sempre vai
Existir
Perguntas,
À vida
Ensina
O ser
A ser
Filosofo.
Quando
Matarem
A filosofia,
À vida
Vai perder
O tesão,
O ser também.
Quando parar
De questionar
Nada
Vai fazer
Sentido.
As perguntas…
É tudo o que
Move o mundo,
Na busca
Da resposta.

Fonte de imagem: Iraney Gonçalves Garcia, em Itacaré/BA, por Ramon Marques.
%d blogueiros gostam disto: