Rindo de mim mesmo

Joguei os meus problemas fora e agora eu estou rindo da minha própria pessoa kkkkk como eu fui ingênuo, bobo, tolo, por me deixar levar com as situações que não tem nada a ver comigo! Kkkkk passar dos 18 como se estivesse ainda vivendo 18 dias, chegar aos 27 e saber que 27 anos não são 27 dias. Acho que o tempo vem me ensinando a ser sábio! (Kkkkk)


Joguei os meus problemas fora e agora eu estou rindo da minha própria pessoa kkkkk como eu fui ingênuo, bobo, tolo, por me deixar levar com as situações que não tem nada a ver comigo! Kkkkk passar dos 18 como se estivesse ainda vivendo 18 dias, chegar aos 27 e saber que 27 anos não são 27 dias. Acho que o tempo vem me ensinando a ser sábio! (Kkkkk)

Como me apeguei a tanta gente ao ponto de me decepcionar com várias pessoas, quantas vezes eu joguei a culpa para eu mesmo? Como me levei pela paixão, pelo amor e pela ilusão? Kkkkk Me deparei comigo mesmo ao ponto de perceber que tudo não passou de uma farsa, tudo isso me serviu como forma de maturidade.

E eu que achava que o maior ambiente que o ser poderia ter seria numa porta de um bar e rodeado de amigos kkkkk nada disso é real, a gente vai descobrindo que existe “amigo” e “amizades”, uma vez eu ouvi essas palavras de uma pessoa, era mais ou menos 1h da madrugada, quando estavamos fumando um cigarro para passar o tempo. Ele me disse “Valter, você tem 26 anos, 26 anos não são 26 dias”, baixei a cabeça e concordei, ele prosseguiu “existe pessoas que anda com você, riem das suas palavras, brincam com você, mas por dentro não estão gostando de nada”. Dias depois levei a maior porrada da minha vida para nunca mais esquecer!

Assistindo a série “Amor e anarquia”, na Netflix, horas e outras eu deparo comigo mesmo e rio da minha situação, quando passamos a rirmos da nossa própria situação, nos tornamos sábios, desde quando aprendamos com cada situação. Quantas vezes eu tentei ser “descolado”, quantas vezes eu fiz o que não era de minha conduta para pressionar os outros e elas verem que eu também posso? Quantas vezes eu deixei de ser eu mesmo para me sentir inserido na sociedade ou de um determinado grupo de pessoas? Kkkkk nada melhor que descobrir a si mesmo, se olhar no espelho e dizer, esse cara que reflete no espelho sou eu, quero ser eu mesmo, quero ter a minha própria identidade, não quero ser o outro.

Quanto ao sexo? Sou livre para transar com quem eu quiser! (Rsrs) Não quero ser careta como muita gente da nossa sociedade, que condena uns aos outros e que muitas das vezes não aceitam a orientação sexual do próximo.

Quantas vezes já escutei algumas pessoas falando “Valter, você é ingênuo”, “Valter, somente vou lhe aconselhar uma vez:, não irei bater na tecla várias vezes, você já é adulto, pois sabe o que é certo e errado”, e de fato tinham razão. Agora eu estou rindo da minha própria pessoa.

A escrita é o meu desabafo de cada dia, o papel e a caneta é o meu instrumento.

Vivendo e aprendendo!

E todo dia tenho uma nova lição de vida, o tempo vem me ensinando a não ter medo de voltar ao bê-à-bá.


O tempo vem me ensinando a não carregar o mundo nas costas, muitas das vezes é necessário parar para refletir as próprias ações, diante a um mundo de pessoas que acredita que deve passar por cima dos outros, onde todos querem terem a razão de tudo.

As interrogações surgem, que eu fiz de bom hoje? Será que eu fiz uma ação plausível? Será que eu levei o sorriso na face de uma ou mais pessoas? Será que eu fui incapaz de desejar um bom dia, boa tarde, boa noite (fora das redes sociais) à vizinhança, ao padeiro, ao segurança, ao motorista do ônibus… Será que eu elogiei alguém ou a joguei prá baixo sem mais e nem menos?

Sim, o tempo vem me ensinando a não carregar o mundo nas costas, o tempo vem me ensinando a saber a hora de responder os outros, sem magoá-la, o tempo vem me ensinando a ter cuidado com a palavra, o tempo vem me ensinando a dizer sim ou não, o tempo vem me ensinando a ser humilde, o tempo vem me ensinando a dizer “- eu estou errado!”, o tempo vem me ensinando a perdoar, o tempo vem me ensinando a enxergar o que há de mais nobre.

E todo dia tenho uma nova lição de vida, o tempo vem me ensinando a não ter medo de voltar ao bê-à-bá.

Valter Bitencourt Júnior

Não sei se continuo amando a vida (continuação e final)

Nos tornamos humano, quando aprendemos a entender a si mesmo e o próximo. O mundo que vivemos precisa de um abraço imenso, pois o abraço cura, necessitamos de ser abraçados e abraçarmos.


Resolvi dar fim de uma escrita que não deveria sequer ter dado início, mas quem sabe termine com um pouco de humor diante a cada situação humana, pois uma vida é a continuação de outra vida. Pode ser semeado o bem e o mal, apenas o bem pode dar bons frutos, a sociedade não é formada sozinha, no meio de milhares de pessoas ainda há pessoas boas no mundo, e, isso é o que nos mantém vivos.

Não sei se continuo amando a vida, não é uma afirmação! A vida é uma filosofia imensa, gosto de refletir, pois não abro mão de minhas reflexões. Enquanto houver vida a gente tem que usar a mente para pensar, questionar, argumentar, perguntar e procurar resposta e isso torna a vida gostosa e interessante.

A dúvida tem de fazer parte da vida, não para se prender na dúvida, por minha vez eu amo a vida, quando penso deixar de amar eu ganho motivos para voltar a amar, pois a utopia é o que mantém o ser de pé. A crença de que tudo pode mudar um dia, diante a cada decepção e paranóias sempre há novos mundos a explorar.

A gente vai aprendendo a viver num sistema perverso, mas sabemos o quanto nos incomoda e isso é bom, porque não devemos nos conformar ao sistema, não podemos abrir mãos do nosso direito, quanto ser humano. A gente é livre na medida que usamos a nossa liberdade sem roubar a liberdade do outro.

Nos tornamos humano, quando aprendemos a entender a si mesmo e o próximo. O mundo que vivemos precisa de um abraço imenso, pois o abraço cura, necessitamos de ser abraçados e abraçarmos.

E assim a gente vai ganhando motivos para continuar amando a vida. A vida é um nuance, tem as suas contradições, porém tudo vai se tornando gostoso quando aprendemos a lidar com a vida.

O dia que eu fiquei sem palavra foi quando uma amiga falou “você salvou o meu dia hoje” ela falou sorrindo. Devemos deixar de lado o nosso próprio ego, elogiar sem medo, fazer o bem sem olhar a quem (como diz o ditado), não saí jogando a culpa nos outros, não descontar nos outros o quê ela não tem culpa alguma. Um bom dia, boa tarde, boa noite faz muito bem.

Olhar no olho do próximo e saber ser verdadeiro é ser verdadeiro não apenas com os outros, quanto com sigo mesmo.

E assim sigo amando a vida, quando eu imaginar que não sei se continuo amando a vida, buscarei motivos para continuar amando, mais e mais.

Uma pequena avaliação

 Hoje eu resolvi fazer uma pequena avaliação, diante a tudo o que eu já tenho publicado, e a cada leitor que vim adquirindo ao longo do tempo. Eu por minha vez tenho resolvido fazer algumas mudanças, que não foi nada fácil, resolvi estabelecer alguns contatos em minhas redes principais, como por exemplo pessoas da família e amigos (as) próximos, e deletei outros, não que esses que tenho deletado não tenha importância em minha vida, todos tem a sua importância, e agradeço muito por me acompanharem.

   Os livros que eu tenho publicado já se encontram disponíveis nas livrarias e lojas virtuais: Lojas Americanas, Mercado Livre, Submarino, CanalShoptime, Zoom, Buscapé, Estante Virtual, Amazon, Livraria Cultura, Walmart, Magazine Luiza… Publiquei ambos, na minha condição de autor independente, alguns dos livros eu tenho publicado sem o interesse em dar autógrafo, criei a página de acordo com o que o site me permitiu, e editei os livros, numerei da minha forma.


   Hoje eu resolvi fazer uma pequena avaliação, diante a tudo o que eu já tenho publicado, e a cada leitor que vim adquirindo ao longo do tempo. Eu por minha vez tenho resolvido fazer algumas mudanças, que não foi nada fácil, resolvi estabelecer alguns contatos em minhas redes principais, como por exemplo pessoas da família e amigos (as) próximos, e deletei outros, não que esses que tenho deletado não tenha importância em minha vida, todos tem a sua importância, e agradeço muito por me acompanharem.

   Os livros que eu tenho publicado já se encontram disponíveis nas livrarias e lojas virtuais: Lojas Americanas, Mercado Livre, Submarino, CanalShoptime, Zoom, Buscapé, Estante Virtual, Amazon, Livraria Cultura, Walmart, Magazine Luiza… Publiquei ambos, na minha condição de autor independente, alguns dos livros eu tenho publicado sem o interesse em dar autógrafo, criei a página de acordo com o que o site me permitiu, e editei os livros, numerei da minha forma.

   Publicá-los vem sendo uma grande vitória, graças ao Clube de Autores e a Amazon, hoje tenho 6 livros publicados. Acredito que muitos dos escritores, poetas… deveriam conhecer um pouco mais sobre essas empresas, que ajudam o autor independente a levar o seu trabalho, mesmo sabendo a dificuldade que passamos, quanto autor independente.

   Não sei como vai ser o ano de 2019, diante a este novo governo que vai assumir a presidencia do nosso país. Não sei como vai ser as consdições das livrarias que buscam sobreviver em nosso país, o que eu sei é que muitos estão apostando no “virtual”, eu acredito que o livro impresso continua sendo insubstituível. Eu publiquei em diversos sites de poesias, os amigos leitores podem lerem as minhas escritas através de diversos sites: Recando das Letras, Literart, Movimiento Poetas Del Mundo, Pensador…

   Acredito que seguir em frente é sempre necessário, fazer algumas avaliações, refletir tudo o que já foi feito, analisar… E assim vou seguindo em frente!

Amor é liberdade


Sim! Amor é liberdade, e cada um vai ter a sua interpretação, não adianta amar e não ser livre, não ter a liberdade de escolha. Todo ser humano deveria ter o direito de escolha, seja qual for a sexualidade, etnia… Para o amor não deveria existir barreiras! E todos falam de amor, e nem todos amam na mesma forma que falam que amam. Amar é se doar a vida, e são poucos que se doam a vida, até porque se doar a vida é se libertar para o que pode está por vir. Temos por nossa volta o preconceito, o do ódio… pessoas que buscam ser maior que o outra. O ego mata o que há de mais nobre, mata o sentimento que há dentro de si, a maneira de enxergar o outro muda, o ego é a vaidade que carregamos dentro de cada um de nós, muitas das vezes querendo ser superior a tudo e a todos. Quem ama tem de perder o ego ao longo do tempo, e ganhar a liberdade. Libertar-se é aprender a amar a vida, nem sempre como ela é, ou como deve ser, é quebrar barreiras, e germinar o que pregamos em palavras, amor, e amor é liberdade.

valter_bitencourt_amor_e_liberdade_lw4o8qp.jpg

%d blogueiros gostam disto: