Lembrança

Sensível esta a sua visão
Ao seu amanhecer,
O sol penetra por sobre
Os seus olhos, tentando
Mostrar a luz do dia…
Sentia um pesadelo…
Sentia um pesadelo,
Na escuridão da noite,
Mas amanheceu…
O sol tênue com a luz
Entra em seu coração!
A luz do sol tênue
Entro por entre
Os escombros da janela,
Mas em você
Ainda resta um vazio…


Sensível esta a sua visão
Ao seu amanhecer,
O sol penetra por sobre
Os seus olhos, tentando
Mostrar a luz do dia…
Sentia um pesadelo…
Sentia um pesadelo,
Na escuridão da noite,
Mas amanheceu…
O sol tênue com a luz
Entra em seu coração!
A luz do sol tênue
Entro por entre
Os escombros da janela,
Mas em você
Ainda resta um vazio…

O que ganha valor histórico pode perder o valor literário?

Uma simples descrição do que se passa, com data, hora, nem sempre é visto como algo valioso, para muitos estudiosos da literatura. 


   Uma simples descrição do que se passa, com data, hora, nem sempre é visto como algo valioso, para muitos estudiosos da literatura.

    O que me deixa impressionado é a forma que muitos estudiosos veem a carta de Pero Vaz de Caminha, muitos não veem valor literário na carta de Pero Vaz de Caminha, mas muitos veem como uma carta valiosa para a história brasileira.

   Relatos de como foi a vinda dos portugueses, que tinha como destino a Índia e a rota foi desviada para o Brasil. Uma navegação comandada por Pedro  Álvares Cabral, onde tudo que se passava durante as navegações eram descritas por Pero Vaz  de Caminha, e todo esse relato seria entregue ao rei de Portugal naquela época.

   A minha pergunta a cima, sempre me deixa dúvidas, quando eu reflito sobre o que venha a ser a literatura. Logo tenho também o conhecimento de que uma crônica pode ter um imenso valor literário, da mesma forma que não pode ter, tudo depende da forma que a crônica é contada.

   Isso também se aplica, quando se trata de história, mas a história também faz  parte da literatura. A poesia, era feita para o Clero e os Reis, e não para o povo, não apenas a poesia como também muitas escritas de diversos autores. Uma certa vez eu vi uma pergunta, de onde se originou a poesia, a poesia pode ter se originado diante a podridão do Clero e da nobreza… Mil desculpas pelas minhas palavras, mas era o que faziam para esconder o que se passava em épocas atrás.

   Muitos poetas e escritores se escondia atrás da escrita, por não ter para onde correr falavam bem da nobreza, do Clero, e recorria para a mitologia, a natureza, o “Amor” com iniciais maiúsculo como uma forma de mostrar pureza, e algo que vai além.

   O que se encontrava de valor literário numa época que muitos mostravam ter grandes inspirações, decassílabos perfeitos, poesias rimadas, e com métricas de causar inveja para muitos poetas, que hoje em dia pouco se importa com alguns recursos estilísticos para compor poesia.

   A poesia foi deixando de ser  feita apenas para o  Clero e para a nobreza, e foi passando a ser feita para a sociedade, a poesia veio passando a ganhar novas formas, novos estilos, e se transformando até mesmo em denúncias políticas e sociais. A prosa veio ganhando outras formas, o romance veio ganhando uma “pitada de realidade”.

   A literatura sempre sofreu mudanças, na minha visão a literatura não se distância da história, da mesma forma que a história não se distância da literatura. Ambos vai ganhando o seu valor, na medida que ela é escrita e reconhecida…

%d blogueiros gostam disto: