Grêmio Estudantil


    Bora dizer que você agora é o candidato de uma das chapas do grêmio da sua escola. Então você tem de convencer aos demais alunos de que, a sua chapa é a melhor, e que de fato vai fazer as devidas mudanças na escola, logo vai dizer, que vai lutar por uma merenda escolar melhor, por iluminação, ar-condicionado, cadeiras novas, mesas novas… então a sua chapa ganha, e você resolve fazer as devidas mudanças, e ao ir na direção conversar com as demais pessoas como representante da turma, você descobre que a escola estabelece normas vindas da Secretaria de Educação, e que eles não apenas tem de cumprir as normas da Secretária de Educação, como também aceitam que a escola tem de permanecer na forma que se encontra, até que o governo mande verbas.

   Logo o aluno percebe que ele, no meio de milhares de estudantes, ele é apenas um estudante, muitos se saem bem e outros não. Alguns mobilizam os demais estudantes para que possam fazer as devidas melhorias, e outros acabam tentando fazer tudo sozinho, e quebrando a cara. O mesmo é quando se trata de um governo, que diz representar a sociedade; os governantes criaram a própria defesa, assim tornando a sociedade refém dela mesma, aqueles que o Estado coloca dizendo nos proteger se torna a defesa do próprio Estado.

    Assim funciona a escola pública, ela se encontra nas mãos do Estado, e ele também subordina os professores, os funcionários, para que eles fiquem refém de um salário, muitas das vezes o impedindo de fazer um protesto por melhorias salariais e na estrutura da escola, porque a primeira coisa que fazem é cortar o salário dos professores. O grêmio estudantil se torna importante, porque o aluno passa a aprender o que é a política, e como funciona uma gestão escolar.

   E o que acaba com o grêmio, é que muitas das vezes todos jogam tudo em cima do líder, e o líder  muitas das vezes se deixa levar, e não cria outros líderes, outras cabeças pensantes, que lutem pela melhoria escolar. E esse também é o papel do professor, de criar cabeças pensantes, só que a nossa instrução pública é subordinada ao governo. E muitos querem até abolir as aulas de sociologia e filosofia nos ensinamentos escolares, porque eles não querem que uma sociedade pense, que uma sociedade seja  instrigada a fazer, e ir contra ao sistema que vive.

images

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.