Homeageado Fliaraxá: Divirta-se Com o Desenho Criado Pelo Valter Hugo Mãe

“querido machado de assis será o patrono da fliaraxá deste ano (araxá, de 19 a 23 de junho). muito me honra que eu seja o homenageado. criei uma série de ternos desenhos. espero que me perdoem a falta de talento. #machadodeassis #valterhugomãe #fliaraxá #fliaraxá2019”

Valter Hugo Mãe, via: Página do Facebook

Anúncios

Laço

Quero saciar seus lábios
Trocar saliva
Roçando a minha língua
Na sua
Feito o movimentar
Das folhas de uma árvore
Ao bater aquele prazeroso ventinho
Da aurora
Fazendo-nos arrepiar
Os últimos fios de cabelo.
Quero me aprofundar
No seu ser carismático
E dentro dele formarei
Um laço
Que só você pode designar
E dele fazer do nosso amor
Uma eternidade.

Por que a morte?

Sinto como se tudo
Estivesse escuro,
Em um tom fúnebre
De longe enxergo lamento,
De seres que não compreendem
Tantos anos de convivência
Mesmo sendo pouco!…
É triste perder um ser
Talvez do nada
Porque no coração
Ele permanece sempre!

Mas porque além da separação
Existe a morte?

Um pouco de poesia para passar a noite…

Valter Bitencourt Júnior
Valter Bitencourt Júnior
Valter Bitencourt Júnior

Renascimento 

A beleza do vento
O vento que passa,
Que deixa o perfume,
E cura o ser por dentro
Como é gostoso o vento?
O vento que passa…
E, tudo inicia de novo.Valter Bitencourt Júnior

Agressão 

Um sofrimento
Que surge nos olhos
E não quer sumir,
Tantas opressões,
E em cada opressão
Uma morte na alma,
Um mundo em gelo.Valter Bitencourt Júnior

Olhar poeta

Vejo cheiro de terra
Molhada.
Neste estado apaixonado,
Sinto-me presa
Dos seus braços
Suados, quentes…
Miro tudo de formas
Diferentes; vezo botões
Se transformarem
Em flores.
Veto seus beijos
Em outro

Beijo vagabundo.
Olhar poeta.Valter Bitencourt Júnior

Casamento

Um dedo e uma aliança,
Um juramento, em elos,
Que não pode ser quebrado.

Mas muitos quebram,
Lindo seria, se vivessem
Eternamente…Valter Bitencourt Júnior

Meu aniversário

Sei que foi
Tudo feito
Com amor.


Mas meu coração
É bobo,
E tentam não ver isso.
Será que é


Ignorância
Ou medo?
Tudo é visível
Para minha visão


Boba…
Não mereço
Tanto cortejo
E afeto


Mas como tudo,
Mesmo em neblinas
Ficou belo.


Valter Bitencourt Júnior
25/06/2011, Junho 2011
Às 08h15min

Moça do meu sonho

Não sei quem era,
Mas tinha uma noiva
Nas areias
Do cais
Era uma virgem
Dona de um olhar
Casto, de um corpo terno
De um jeito singelo.
Não sei por que
O sonegar.
De tanto negar,
De tanto brincar.
Tinha uma marca
Danúbia
De um corpo adulto
De uma alma jovem
O vestido pesava
Mas estava só
Não sei mais onde…
Naquele altar!